O nome é limpo após 5 anos no SPC e Serasa? Entenda

Ter o nome limpo é importante para que o usuário possa utilizar serviços, como solicitação de empréstimos, financiamentos ou cartão de crédito.

SPC, Serasa e Boa Vista são serviços de proteção ao crédito que utilizam informações de adimplência e inadimplência de pessoas físicas ou jurídicas para fins de decisão sobre crédito. Ter o nome limpo nesses órgãos é importante para que o usuário tenha acesso a crédito no mercado financeiro e possa utilizar serviços, como solicitação de empréstimos, financiamentos ou cartão de crédito.

Bancos e instituições financeiras utilizam essas informações financeiras para conhecer o indivíduo. Caso o nome conste como devedor pode gerar a falta de acesso a diversos benefícios.

5 anos no SPC e Serasa

Caso um devedor tenha seu nome nos referidos órgãos por alguma dívida, mas passado o tempo determinado por lei, de cinco anos, seu CPF não ficará visível nas listas de restrições. As dívidas podem seguir sendo cobradas e eventuais ações jurídicas continuarão existindo e tramitando.

Além disso, o nome só deixa de constar para aquela dívida que venceu o prazo de cinco anos. Se o devedor possui outras dívidas com tempo menor de inadimplência, o cadastro ainda será evidenciado nas listas.

Vale lembrar que a inadimplência — não pagamento de uma conta ou dívida —, dependendo do caso, pode prescrever crime.

Sair da negativação

Para sair da lista de negativados é importante focar em conseguir uma renda, principalmente se estiver desempregado. Após normalizar o fluxo de receita, é essencial reorganizar a vida financeira e traçar estratégias para quitar as dívidas e ter o nome limpo nos órgãos de crédito.

Uma boa alternativa é separar 10% da renda para esse fim e buscar serviços de apoio ao inadimplente, como o Feirão Limpa Nome, que oferece oportunidades de quitar dívidas com diversas empresas e com descontos de até 90% do valor.

Confira também: Nome sujo? Banco Pan oferece cartão de crédito sem consulta SPC e Serasa e sem anuidade

Voltar ao topo

Deixe um comentário