Como estudar para o Concurso Senado Federal

Confira informações sobre a banca, edital, conteúdo programático e demais dicas para garantir uma boa colocação.

Senado Federal e da Câmara dos Deputados proporcionam a seus servidores uma das melhores remunerações do setor público brasileiro, além de todas as prerrogativas de se trabalhar nessa área.

A boa notícia é que um novo concurso para o Senado já está aprovado e deve ter seu edital lançado no segundo semestre de 2017, oferecendo vagas para diversos cargos para os níveis médio e superior.

Apostilas preparatórias baseadas nos últimos editais:

O que alavanca, ainda mais, a expectativa para o próximo certame é o déficit no quadro de servidores, que chega a mais de 1059 postos vagos, somado ao prazo de validade do concurso de 2012, expirado em junho de 2016.

Conteúdo programático

A banca organizadora do último concurso (2012) foi a Fundação Getúlio Vargas. Para o cargo de técnico legislativo, em 2012, foram aplicadas 70 questões objetivas divididas entre Língua Portuguesa (20), Conhecimentos Gerais (10), Noções de Informática (10) e Conhecimentos Específicos (30), além uma discursiva e redação.

Segue o resumo de como foram organizadas as vagas, provas e conteúdo programático:

Cargo Técnico Legislativo - Senado Federal

FASES DO CONCURSO

Foram abordados os conteúdos abaixo, distribuídos conforme o cargo pretendido:

  • Língua Portuguesa
  • Informática
  • Conhecimentos Gerais
  • Conhecimentos Específicos

Maiores informações podem ser obtidas por meio do edital, disponível no site da FGV.

A banca organizadora do concurso anterior (2008) também foi a Fundação Getúlio Vargas. Veja como foi feita a divisão de vagas:

VAGAS

FASES DO CONCURSO

Na primeira etapa, foram aplicadas provas objetivas e discursivas, divididas da seguinte maneira:

Banca organizadora

A banca organizadora dos dois últimos concursos (2012 e 2008) foi a Fundação Getúlio Vargas.

As provas da FGV não costumam ter um padrão específico e seu grau de dificuldade pode variar de acordo com o nível de escolaridade do cargo ou órgão. Portanto, podem exigir memorização, interpretação, ser difíceis ou de grau fácil.

As provas de Língua Portuguesa aplica textos longos, envolvendo tanto questões de interpretação de texto quanto de gramática. Os textos são, em sua maioria, dissertativos, pedindo que o candidato identifique os recursos argumentativos utilizados (estatísticas, remissões, etc). São frequentes, também, reescritura de frases (portanto, prepare-se quanto a conjunções, pontuação e semântica), referenciação textual (diferença entre catáfora e anáfora, por exemplo), além de adjuntos adnominais e completo nominal.

As provas de Direito abordam questões multidisciplinares, textos das leis e casos práticos, misturando questões complexas e fáceis. Mas, apesar de haver bastante conteúdo de leis, é importante não deixar doutrina de fora dos estudos. parte de direito tem cobrado casos práticos e, questões multidisciplinares envolvendo também textos das leis.

Dicas: não deixar de estudar nenhum item do edital, prestando atenção à bibliografia exigida. Pratique com o máximo de exercícios possível. Atente-se ao dia a dia do cargo pretendido pois, questões relacionadas ao cotidiano costumam ser cobradas. Estude as provas anteriores da própria FGV – a banca pode repetir questões.

Voltar ao topo

Deixe um comentário