Auxílio Emergencial: Seu pedido ainda está em análise? Saiba como resolver

A Caixa havia anunciado que o prazo para responder por meio de site ou aplicativo seria de até cinco dias úteis, contudo, muitos usuários relatam que o cadastro segue em análise há mais tempo.

No dia 9 de abril teve início o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600,00 para os trabalhadores informais de baixa renda. Entretanto, oito dias úteis após o começo da distribuição do dinheiro, muitas pessoas ainda contam com solicitação em análise no sistema da Caixa Econômica Federal.

A estatal havia anunciado que o prazo para responder por meio de site ou aplicativo seria de até cinco dias úteis, contudo, muitos usuários relatam que o cadastro segue em análise há mais tempo.Talvez o dinheiro não tenha saído porque a pessoa não se encaixa nas condições do programa (veja mais abaixo quais são) e por isso não tem direito.

Outro motivo é que o calendário da Caixa está em andamento, dessa forma os trabalhadores precisam esperar a sua vez. O atraso também pode acontecer em razão de problemas técnicos no site ou aplicativo do banco.

No Twitter, em resposta a uma beneficiária no dia 16 de abril, a Caixa publicou a seguinte explicação: ” Olá! O prazo de 5 dias úteis é uma estimativa para análise. O beneficiário deve aguardar e consultar o app do auxílio emergencial amanhã novamente. Lembramos que a gestão da análise e concessão do auxílio é de competência do Ministério da Cidadania. Até mais!”

Calendário de pagamento do auxílio

O pagamento do auxílio emergencial é liberado de acordo com a classe do beneficiário. Os inscritos no CadÚnico que não recebem Bolsa Família começaram a receber no dia 9 de abril e o pagamento continua em andamento. Receberam primeiro que têm poupança no banco e o conta no Banco do Brasil (BB).

Já no dia 17, sexta-feira passada, saiu o pagamento para que se inscreveu pelo aplicativo e tinha conta poupança na Caixa. Receberam no dia 18, sábado, as pessoas que indicaram no cadastro conta em outro banco.

1ª parcela 

  • A partir de abril (9): Quem tem poupança na Caixa ou correntista do BB; pagamento cai em até 2 dias úteis
  • A partir de abril (14): Outros beneficiários; pagamento em até 3 dias úteis.

2ª parcela 

  • Abril (27): nascidos em janeiro, fevereiro e março
  • Abril (28): nascidos em abril, maio e junho
  • Abril (29): nascidos em julho, agosto e setembro
  • Abril (30): nascidos em outubro, novembro e dezembro

3ª parcela 

  • Maio (26): nascidos em janeiro, fevereiro e março
  • Maio (27): nascidos em abril, maio e junho
  • Maio (28): nascidos em julho, agosto e setembro
  • Maio (29): nascidos em outubro, novembro e dezembro

Beneficiários do Bolsa Família

Esses não acumulam o benefícios, mas recebem o de maior valor . O calendário para eles segue o dígito do Número de Identificação Social (NIS). Veja abaixo as datas da primeira parcela:

  • Quinta-feira (16): último dígito do NIS é igual a 1
  • Sexta-feira (17): último dígito do NIS é igual a 2
  • Segunda-feira (20): último dígito do NIS é igual a 3
  • Quarta-feira (22): dígito do NIS é igual a 4
  • Quinta-feira (23): último dígito do NIS é igual a 5
  • Sexta-feira (24): último dígito do NIS é igual a 6
  • Segunda-feira (27): último dígito do NIS é igual a 7
  • Terça-feira (28): último dígito do NIS é igual a 8
  • Quarta-feira (29): último dígito do NIS é igual a 9
  • Quinta-feira (30): último dígito do NIS é igual a 0

Já a segunda parcela está marcada para sair entre 18 e 29 de maio, e a terceira entre 17 e 30 de junho.

Verifique novamente os requisitos para receber

Para auxílio que vai de R$ 600,00 a R$ 1.200,00 os beneficiários devem se encaixar em requisitos, talvez a situação no sistema da Caixa ainda esteja em análise porque os trabalhadores não cumprem com as condições, veja quais são:

  • Necessário ter mais de 18 anos de idade
  • Empregado que não têm carteira assinada autônomo desempregado MEI (microempreendedor individual)
  • Contribuinte individual da Previdência

Além destas exigências, as pessoas ainda devem cumprir com uma das seguintes condições:

  • Tem família com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135) ou com renda mensal per capita (por membro da família) de até meio salário mínimo (R$ 522,50)
  • Teve rendimentos tributáveis de até R$ 28.559,70 em 2018 (de acordo com declaração do Imposto de Renda feita em 2019)

Não tem direito ao benefício quem já recebe seguro-desemprego, Benefício de Prestação Continuada (BPC), aposentadoria ou pensão. Para checar os critérios de renda, o governo faz cruzamento de informações dos bancos de dados como do CadÚnico e do Imposto de Renda.

Continue acompanhando o cadastro pelo site ou aplicativo

Em resposta a demora na distribuição do auxílio, a Caixa orienta que o trabalhador continue acompanhando a situação cadastral pelo site ou aplicativo Caixa Tem. Isso porque podem ter acontecido erros no preenchimento do pedido e também no próprio sistema do banco. A estatal ainda disponibiliza o telefone 111 para tirar dúvidas.

Depois que o cadastro foi aprovado, o depósito ainda demora um prazo de três dias para cair na conta bancária indicada no cadastro ou na poupança digital aberta automaticamente pela Caixa, se essa foi a escolha do trabalhador.

Veja também: Caixa oferece empréstimo de R$ 21 mil para MEIs; Veja como conseguir

Voltar ao topo

Deixe um comentário