Após auxílio de R$ 600, Governo irá liberar até R$ 1.045 de FGTS

Ao todo, mais de 60 milhões de brasileiros terão direito aos repasses da nova rodada, que inclui contas ativas e inativas.

Neste mês de junho, alguns trabalhadores poderão receber, ao mesmo tempo, o auxílio emergencial de R$ 600,00 e o novo saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Isso porque aqueles com contas inativas, ou seja, de empregos antigos podem sacar até R$ 1.045,00 na nova rodada.

Em ambas as situações, o intuito é gerar maior movimentação econômica e, consequentemente, diminuir os efeitos negativos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Enquanto o governo segue com as liberações de saque da segunda parcela do auxílio emergencial, seja para transferência ou saque em agências bancárias, a Caixa Econômica Federal prepara o calendário de repasses do saque emergencial do Fundo.

Ao todo, mais de 60 milhões de brasileiros terão direito aos repasses, que também incluem pessoas que trabalham de carteira assinada, no momento. Vale ressaltar que para essa categoria, o auxílio emergencial não está disponível.

Como consultar o saldo do FGTS

Para saber quanto há disponível no Fundo, seja em contas ativas ou inativas, o beneficiário deve seguir os seguintes passos.

Pelo site:

  1. Acesse a página do FGTS;
  2. Coloque o número do NIS ou CPF e clique em “Cadastrar senha”.
  3. Leia o regulamento e clique em “Aceito”.
  4. Preencha todos os campos com seus dados pessoais.
  5. Crie uma senha com até 8 dígitos, com letras e números, e confirme. Você será direcionado para a tela de login novamente.
  6. Preencha os campos com NIS ou CPF, insira a senha cadastrada e clique no botão “Acessar”.

Pelo aplicativo:

  1. Baixe o aplicativo do FGTS em lojas virtuais;
  2. Vá ate o aplicativo e preencha todos os dados solicitados: CPF, nome completo, data de nascimento, e-mail e cadastre uma senha de acesso.
  3.  A senha precisa ser numérica e contar com seis dígitos. Quem já usava o aplicativo pode repetir o mesmo número de senha que usava antes.
  4.  Depois de incluir seus dados, clique no botão “Não sou um robô”.
  5. Você vai receber um e-mail de confirmação no endereço de e-mail informado por você. Acesse-o e clique no link que foi enviado.
  6. Após o cadastramento, abra o aplicativo e informe o “CPF” e “senha” cadastrada.
  7.  Após o login, aparecerão algumas perguntas adicionais sobre sua vida funcional.
  8. Após responder a essas perguntas, você deve ler e aceitar as condições de uso do aplicativo, clicando em “Concordar”.

Pronto, a partir daí já é possível utilizar o app FGTS para consultas, verificação de extratos, transferências e muito mais.

Transferência do PIS para o FGTS

O governo federal transferiu R$ 21 bilhões do extinto Fundo PIS/Pasep para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Segundo a equipe econômica,  os recursos disponíveis advém das contas de trabalhadores que atuaram com carteira assinada entre os anos de 1971 e 1988.

Contudo, grande parte desses trabalhadores já faleceram e os herdeiros não entraram com requerimento de saque. Em razão da baixa procura, o governo utilizará esses recursos para o pagamento da nova rodada de saques do FGTS.

Durante o anúncio do pacote econômico anticrise, o ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre a iniciativa:

“Temos R$ 22 bi do PIS/Pasep, o fundo que nós já chamamos várias vezes. Houve já duas ondas de resgates, primeiro para os proprietários, depois para herdeiros”, disse Guedes.

“Nossa ideia é fazer uma fusão com o FGTS, vamos fazer uma reserva desses recursos para, eventualmente, caso os herdeiros apareçam. Se os herdeiros apareçam, os direitos estão mantidos. Feita essa reserva, os R$ 20 bi de recursos que sobrarem será liberado”, acrescentou.

Leia ainda: Saldo FGTS: Saiba quanto você tem na conta para sacar a partir deste mês

Voltar ao topo

Deixe um comentário