scorecardresearch ghost pixel



Ganhe até R$ 1.800 vendendo esta moeda rara de R$ 0,50

Motivo que tornou a peça valiosa é bastante interessante e está relacionado a um erro de emissão. Entenda.



A venda de moedas raras está a todo vapor. Com a ascensão desse mercado, muita gente passou a olhar com mais cuidado o cofrinho de casa para saber se não há um item singular que possa valer uma boa quantia em dinheiro.

Leia mais: Moeda mais valiosa do Brasil pode valer até R$ 2,37 milhões; veja qual é

Os numismatas, grupo de pessoas que entendem de moedas raras, são os mais entusiastas quando o assunto são peça valiosas. Recentemente, além das moedas de R$ 1 que podem atingir a casa dos milhares de reais, também entraram no radar as moedas de R$ 0,50, que podem valer muito mais do que se imagina.

De acordo com especialistas, existe uma moeda de R$ 0,50 que pode valer entre R$ 1,5 mil e R$ 1,8 mil. Este item está entre alguns dos mais raros na lista dos colecionadores. E o motivo que tornou a peça rara é bastante interessante.



 

O que torna uma moeda rara?

Pessoas que entendem desse mercado dizem que a idade não é o único fator capaz de tornar uma moeda rara. Outros sinais que também são levados em consideração incluem:

  • Seu estado de conservação;
  • O país e local em que a moeda foi impressa;
  • A quantidade de moedas feitas em um ano específico. Quanto menor a tiragem, mais raras são as peças.

Moeda de R$ 0,50 que pode valer até R$ 1.800

Emitida em 2012, a moeda de cinquenta centavos rara ganhou destaque por conta de um erro de tiragem da Casa da Moeda. Basicamente, a peça em questão não possui um zero, o que a faz parecer com uma moeda de R$ 0,05.

Observe a imagem abaixo:

Moeda de Cinquenta Centavos Sem o Zero

Portanto, se você encontrar uma dessas por aí, com o ano 2012 estampado, saiba que você pode ter achado uma verdadeira fonte de grana extra.

Para quem se interessar por esse universo, uma dica boa é acessar o catálogo online de moedas. Ele pode ajudar a entender melhor alguns itens e seu valor de mercado.




Voltar ao topo

Deixe um comentário