Coesão e Coerência

Um resumo dos conceitos de coesão e coerência, além de como esse conteúdo é aplicado nas provas de concursos públicos e processos seletivos.

O conteúdo de Língua Portuguesa é um dos mais extensos cobrados em editais e está presente para todos os cargos de concursos públicos e processos seletivos. Além disso, as provas da disciplina contam com a maior pontuação o que pede preparo de alto nível por parte dos candidatos.

Entre os itens presentes em praticamente todos os regulamentos está o de coesão e coerência. Os dois conceitos são de extrema importância para a compreensão textual e escrita fluente. Isso porque um texto só é considerado eficaz se a mensagem transmitida faça sentido para quem lê.

Apesar de interligados, os termos apresentam significados e aplicações diferentes em um texto ou oração. Confira, a seguir, o que é coesão e coerência, exemplos e como são cobrados em sua prova.

Coesão e Coerência

O que é coesão?

A coesão é a conexão dos elementos do texto de forma a criar harmonia entre eles. Trata, basicamente, das articulações gramaticais que existem entre as palavras, frases e orações cuidando para que haja boa sequência entre parágrafos, orações, períodos e palavras. A disposição correta e organização é feita por meio dos conectivos.

A coesão pode ser obtida graças a dois mecanismos principais – a anáfora e a catáfora, ambas relacionadas à informação textual. A primeira retoma um componente enquanto a outra o antecipa permitindo a construção de um texto harmonioso. Mas, como isso funciona?

Algumas regras devem ser seguidas para garantir a coesão textual. Veja quais são:

  • Referência: pode ser pessoal (uso de pronomes pessoais e possessivos), demonstrativa (uso de pronomes demonstrativos e advérbios) e comparativa (uso de comparações por meio de semelhanças). Exemplos:
    • Leda e Sérgio se casaram. Eles são os pais de Júlia e Lara (pessoal anafórica)
    • Escrevi todos os textos com exceção deste: o da história da colonização africana (demonstrativa catafórica)
    • Mais um mês igual aos outros… quente! (referência comparativa endofórica)
  • Substituição: substitui um elemento nominal por outro para evitar repetições. Exemplo: Vamos ao congresso na quarta-feira, Ludmila irá na quinta.
  • Elipse: omissão de um componente textual, seja ele frase, verbo ou nome. Exemplo: Compramos dois refrigerantes a mais para levar, você os quer?
  • Conjunção: termo que liga duas orações de modo a estabelecer uma conexão entre elas. Exemplo: Ainda não encontraram os culpados pelo vandalismo, mas Charlie sabe quem foi.
  • Coesão Lexical: uso de palavras com sentido aproximado ou de mesmo campo lexical, ou seja, hiperônimos, sinônimos e nomes genéricos. Exemplo: O museu não tinha a menor condição de guardar tantas relíquias! O local estava a ponto de ruir!

O que é coerência?

A coerência, por sua vez, se preocupa mais com a lógica entre as ideias, acontecimentos e situações, tendo como suporte mecanismos de natureza lexical ou gramatical, além do conhecimento compartilhado dos falantes do idioma. Sendo assim, trata-se da propriedade textual que permite a construção do texto de forma suas partes tenham sentido entre si.

O conceito permite estabelecer relação lógica das ideias por meio da argumentação. Já percebeu o quanto um texto redundante e contraditório dá a impressão de não concluir as ideias? Isso acontece porque sua construção o deixa incoerente, sem a clareza do discurso de forma a deixá-lo sem fluência.

Assim como na coesão, princípios básicos devem ser seguidos para manter um texto coerente, sendo eles:

  • Princípio da Relevância: ideias precisam se relacionar
  • Princípio da Não Tautologia: evitar ideias redundantes
  • Princípio da Não Contradição: evitar ideias contraditórias
  • Princípio da Continuidade Temática: o texto deve seguir dentro do mesmo assunto
  • Princípio da Progressão Semântica: inserir informações novas para seguir o todo

Os princípios acima são garantidos caso alguns fatores sejam levados em consideração para garantir a coerência textual. São eles:

  • Conhecimento do mundo: carga adquirida ao longo da vida, como rótulos (frames), planos, esquemas ou scripts. Exemplo:
    • Trabalho, horários a cumprir e trânsito para enfrentar. Isso sim é que são férias!
    • Praia, mar e restaurantes típicos! Isso sim é que são férias!

A partir do exposto acima, qual das frases apresenta maior coerência com a realidade? A segunda, certo? Isso porque, nas férias, tudo o que queremos é ficar longe das obrigações que nos são rotineiras.

  • Inferências: informações simplificadas a partir do pressuposto de que o interlocutor compartilha daquele conhecimento. Exemplo: Quando chamá-la para sair, não se esqueça de que ela é indiana (ou seja, pode ser que a pessoa seja vegetariana).
  • Informatividade: evitar insistir no que é óbvio procurando trazer informações ricas e interessantes. Exemplos:
    • O Egito possui pirâmides imensas (incoerente)
    • Há quem diga que as pirâmides foram construídas por extraterrestre devido à forma como os blocos foram dispostos (coerente)
  • Contextualização: fatores que providencie a clareza textual, como datas e menções a alguma informação. Exemplo:
    • Chegará às 20h.
    • Quem chegará às 20h? Não estou sabendo de nada

Dicas para melhorar a coesão e coerência de seu texto

Elaborar textos impecavelmente coerentes e coesos não é tarefa fácil. Para ajudar, trouxemos algumas dicas que podem ser valiosas para garantir a fluência de sua redação.

  1. Use conjunções coordenativas (mas, também, entretanto, ora…ora, portanto, porque)
  2. Use sinônimos para evitar repetições (no entanto = porém)
  3. Evite usar palavras muito complicadas para facilitar a compreensão do texto
  4. Releia o parágrafo escrito
  5. Leia bastante para adquirir conhecimento e enriquecer seu vocabulário
  6. Coloque-se no lugar do leitor e veja se seu texto está claro

Coesão e Coerência
4.8 (96%) 5 votes
Voltar ao topo

Deixe um comentário