Política Cambial

São as ações tomadas pelos países para conseguir controlar a sua moeda. Muitos utilizam a apreciação ou a depreciação, dependendo do que a economia almeja e necessita. Entenda o que são taxas de câmbio e quais são as políticas adotadas por cada governo, inclusive o brasileiro

A política cambial é definida como um conjunto de medidas que um país adere com o intuito de controlar a relação que possui com as moedas estrangeiras.

O Banco Central (BACEN) em união com a sua Política Monetária e Fiscal, realizam este tipo de política. A finalidade é que as taxas de câmbio mais adequadas sejam adotadas.

Em momentos que o governo deseja controlar a inflação do país, ou expandir a economia são alguns exemplos de períodos em que a política cambial é utilizada.

Taxas de câmbio: as políticas adotadas pelo país

O preço da moeda nacional que se refere às outras moedas estrangeiras são as taxas de câmbio. O preço do Real brasileiro (BRL)  em preços de Dólares americanos (USD), por exemplo.

Dessa forma, o valor da moeda nacional pode sofrer uma valorização ou desvalorização. A primeira acontece quando há um aumento em relação às outras moedas. Já o segundo se refere à diminuição.

Há três modelos de câmbio que o BACEN decide adotar para a política de câmbio da moeda do país. São eles: câmbio flutuante, câmbio fixo ou banda cambial.

  • Câmbio flutuante: é quando o preço da moeda varia livremente no mercado de moedas;
  • Câmbio fixo: ocorre quando o preço da moeda possui um preço único diante das outras moedas;
  • Banca cambial: é quando a moeda flutua. No entanto, esta flutuação acontece com um limite superior ou inferior. Funcionam como uma mistura dos regimes fixo e flutuante.

Assim sendo, a política adotada no câmbio fixo ou na banda cambial, tenciona obter um controle para que o preço da moeda seja de acordo com a fixada.

Já no câmbio flutuante, a intenção do governo é fazer com que a competitividade com outros países seja melhorada. Uma moeda quando se valoriza demais, pode fazer com que as exportações sejam diminuídas. Além do mais, este fator pode fazer com que a população passe a comprar mais produtos estrangeiros.

Em contrapartida, quando uma moeda se desvaloriza muito, o país pode acabar perdendo o pode de compra que possui. Quando este fato ocorre, o valor da moeda nacional é valorizada pelo governo.

Apreciação Cambial: o que significa?

Quando o governo valoriza a moeda em relação ao preço das estrangerias acontece a apreciação cambial. Isso significa que os estrangeiros vão precisar pagar mais pela moeda nacional.Um exemplo é quando o Dólar Americano passa de R$ 3,20 para R$ 3,15.

Dessa forma, a apreciação pode ser feita pela governo quando este percebe que as pessoas estão pagando caro para obter produtos estrangeiros. Isso decorre das exportações que estão acontecendo na economia.

Depreciação Cambial: o que significa?

Este é o processo contrário da apreciação cambial. Na depreciação a moeda é desvalorizada ao preço das estrangeiras. Assim sendo, os estrangeiros pagam menos pelo preço da moeda nacional. Quando o Dólar Americano passa de R$ 3,20 para R$ 3,30, por exemplo.

Portanto, para que a competitividade com outros países possa aumentar, o governo pode depreciar a moeda, tornando, assim, os produtos mais atrativos.

Política Cambial: como funciona no Brasil

A partir de 1994 o Brasil adotou o Real como moeda em câmbio híbrido (banda cambial). De 1999 em diante, ela tornou o câmbio flutuante, depois que foi liberada.

O BACEN intervém quando há a necessidade de apreciar ou depreciar o Real. Por este motivo, o câmbio do Brasil é conhecido como “flutuante sujo”.

Portanto, medidas conhecidas como “tripé macroeconômico” são adotadas pelo governo brasileiro em conjunto com as políticas monetária e fiscal.

Política Cambial
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário