Vesting

Vesting é um instrumento contratual totalmente popularizado pelas startups que tem como objetivo uma aquisição de direitos sobre o negócio.

É notório que as startups têm o objetivo de ter uma aquisição progressiva de direitos sobre um negócio. É justamente nesse contexto que a Vesting servirá como um grande instrumento contratual popularizado atualmente.

De maneira geral, o mesmo busca garantir que a participação de fundadores e funcionários nas ações dessa empresa. A ideia é que seja compatível com o envolvimento real que eles tiveram no seu crescimento e sucesso.

Não existe uma palavra que irá traduzir exatamente esse termo para o português, entretanto pode ser explicada como uma aquisição gradual de um direito e o texto tem a proposta de mostrar tudo sobre esse assunto.

Por que o vesting é importante?

Pense que dois sócios resolveram criar uma startup na qual cada um irá possuir 50% desse negócio. No entanto, a empresa ainda estava em fase embrionária, os sócios brigam e um deles continua apostando no negócio.

Passado algum tempo, a startup cresce e passa a valer muito dinheiro, porém existe um problema grave. Uma vez que sem um Vesting contract, o sócio que abandonou o negócio poderia cobrar pelos seus 50% da participação.

Outro exemplo é no caso da contratação de um funcionário totalmente experiente para tal função. De maneira geral, as startups não conseguem competir com as grandes empresas em termos de salários por meio disso.

Dessa forma, não vai prometer uma parte da sociedade para atrair esse tipo de talento mediante a essa situação. O Vesting dá uma segurança e vai trazer a tona aspectos que farão diferença de forma muito positiva.

Agora pense que a empresa ofereceu uma participação de 5% no negócio, que ainda está iniciando. No entanto, para atrair um bom funcionário e o colaborador ficou apenas 1 mês no emprego, decidindo sair disso tudo.

Caso não exista nenhuma cláusula de Vesting, esse funcionário também poderá reivindicar esses 5% depois que a empresa decolou. Ainda que sua participação nesse crescimento tenha sido pequena ou nula.

Como funciona o vesting?

O Vesting permite associar o direito a uma cota determinada de ações a um período em geral de 2 a 5 anos. Portanto, caso um funcionário a quem foi prometida uma participação na startup e é preciso ter atenção nisso tudo.

A transferência dessas ações para ele é feita de uma forma sempre gradual para que tudo funcione melhor. É mais do que adequado atentar-se a questões que são essenciais e que farão diferença de forma positiva a todos.

Já que dará direito à totalidade da participação prometida após encerrado o período de Vesting já feito no contrato. Desse modo, se for acordado um período de vesting de 4 anos e uma participação de 5% nas ações. Entretanto, esse funcionário não vai ter os 5% e sim 1,25%.

Vale destacar que esse mesmo tipo de relação entre a permanência no negócio e a participação nas ações. Tudo pode ser estabelecido entre os sócios-fundadores no momento da criação da empresa como um todo.

Assim sendo, um equilíbrio entre o tempo de desenvolvimento de cada um e o direito ao retorno financeiro. Tudo precisa ser feito após o sucesso da empreitada que veio a ser realizada por meio de todos esses pontos.

Cláusula Cliff

Os contratos Vesting podem ser complementados por uma cláusula cliff, podendo estabelecer um tempo mínimo de colaboração. Em geral, será mais ou menos de um ano e o objetivo é ter direito a cota de ações com validade.

Vale destacar que nesse exemplo, o funcionário a quem foi prometida uma participação na empresa. Mesmo se for desligada antes de cumprir essa carência, podendo estar abrindo mão do direito de parcela da sociedade.

Vesting
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário