O que é Administração Científica?

Chamado de Taylorismo, o conceito foi um dos primeiros a estudar os métodos de trabalho. O termo diz respeito às atividades exercidas em um menor tempo possível. Conheça seus princípios e saiba quais são as vantagens e desvantagens desse modelo

O método administrativo que faz a relação do máximo de produtividade dos trabalhadores, com o menor tempo possível é denominado de Administração Científica. O modelo também é conhecido como Taylorismo.

O conceito, foi desenvolvido, entre o fim do século XIX e o início do XX,  pelo engenheiro norte-americano Frederick Winslow Taylor, e  funciona por meio de uma gestão mais analítica.

Ele foi o primeiro administrador a usar métodos científicos, por meio de gráficos. Dessa forma, Taylor analisava os pontos em que a produtividade era maior, no menor tempo possível.

Administração Científica: Princípios

Antes a administração tinha como base apenas as experiências empíricas e menos científicas. Dessa forma, a teoria de Taylor ficou conhecida por fazer com que a gestão se tornasse mais eficiente. Ela se baseou em maiores planejamentos, os quais foram realizados por meio de estudos de tempos e fluxos na produção.

Taylor acreditava que quando um produção passava por uma análise, seria possível estuar a produtividade que nela existia. Assim sendo, a função de cada trabalhador poderia ser simplificada mediante uma racionalização. Esta removeria o esforço desnecessário e faria com que o funcionário realizasse a tarefa em menos tempo.

Frederick Taylor, em seu livro “Princípios da Administração Científica“, propôs os seguintes princípios fundamentais para fazer a gestão científica: planejamento, seleção e preparo, controle, execução e singularização das funções.

  1. Planejamento: todos os aspectos do trabalhos devem ser analisado para que a administração científica possa acontecer. Assim sendo, os melhores métodos para a produção são aplicados.
  2. Seleção e preparo: De acordo com este princípio, para cada função, existe um trabalhador  mais capacitado e que pode ser treinado. O objetivo é que a pessoa se torne especialista naquele cargo.
  3. Controle: este aspecto diz respeito à gestão do trabalho. Ponto essencial para que as atividades não saim do planejado.
  4. Execução: para esse princípio, o trabalho dever ser distribuído e controlado. A finalidade é que o trabalhador não realize ações desnecessárias. Fator que aumenta o cansaço físico e diminui a produtividade.
  5. Singularização das funções: aqui há a relação da especialização de cada trabalhador em cada cargo. Além da redução de custos ao adotar este princípio.

Com o passar do tempo, administradores adeptos das ideias de Taylor passaram a adotar outros princípios.

Taylorismo: Vantagens e desvantagens

Uma das principais vantagens do Taylorismo é a sua dinâmica de produtividade. Por meio dela, foi possível colocar debater sobre o aumento dos salários e também a diminuição de carga horária. Os dois aspectos de maneira bastante concreta.

No entanto, entre as desvantagens, destaca-se a mecanização do trabalho. Um dos ponto mais criticados e mal visto neste método.

Portanto, após analisar o conceito de administração científica, foi possível perceber que ela foi pioneira quanto aos estudos de métodos de trabalho. O Taylorismo foi o grande responsável pela evolução das Engenharias Industriais e de Produção.

O que é Administração Científica?
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário