O que é Estilística – conceito, tipos e aplicações

Saiba qual é o conceito de estilística, como identificar os tipos no texto, as diferentes aplicações e como o conteúdo pode ser cobrado na sua prova.

O conteúdo programático cobrado em editais referentes à Língua Portuguesa é extenso e envolve itens relacionados à Gramática e Interpretação de Texto. Mas, já observou que, entre os assuntos abordados e, principalmente na prova, sempre há questões cobrando temas como figuras e vícios de linguagem?

Apesar de não vir explícito em edital, estes e outros conteúdos estão inseridos em um campo de estudo chamado estilística. Trata-se da área responsável por analisar os tipos de organização das palavras ou associações linguísticas presentes nos discursos orais e escritos.

Intimamente ligada à Gramática, ainda que o foco de ambos seja diferente, a Estilística complementa os estudos da linguagem focando na função dos discursos através dos Recursos Linguísticos. Acompanhe, a seguir, mais detalhes sobre essa área de estudo, bem como a forma cobrada nas provas.

Diferenças entre semântica e estilística

Nos seus estudos, é importante tomar cuidado para diferenciar os conceitos de semântica e estilística. A primeira diz respeito ao estudo do significado, isto é, a relação entre os significantes (palavras, sinais, frases e símbolos) e o que representam. No seu curso, a semântica se preocupa em estudar os significados dos elementos que constituem as palavras, nos termos como um todo e nas frases inteiras.

A estilística, por outro lado, se ocupa de estudar as variações da língua e sua utilização, o que inclui a estética da linguagem, as diferentes aplicações nos contextos e situações. A estilística é usada para determinar conexões entre a forma e efeitos dentro da variedade particular da língua. Para isso, usa recursos linguísticos para explicar determinadas expressões.

Outro ponto que precisa ser diferenciado é a traço estilístico e erro gramatical. O primeiro acontece quando há intenção estética e expressiva para justificar o desvio da norma gramatical. O erro gramatical, por sua vez, não apresenta intenção estética mas, apenas, um desconhecimento das regras.

Classificações da Estilística

Para facilitar o estudo da Estilística, ela foi dividida em quatro campos, sendo eles:

  • Estilística Semântica (significado)
  • Estilística Sintática (construções frasais)
  • Estilística Morfológica (forma)
  • Estilística Fônica (sons)

Quais são os Recursos Estilísticos

Os recursos estilísticos são meios utilizados pela Estilística para individualizar os estilos, a depender das funções da linguagem empregadas. Nisso, nos referimos às funções emotiva, referencial, poética, conativa, metalinguística e fática.

Sendo assim, a Estilística faz uso dos seguintes recursos linguísticos empregados pela língua:

  • Linguagem Denotativa e Conotativa: recursos da língua empregados conforme o contexto em que ocorrem. A linguagem denotativa representa o uso literal da palavra, como aquele usado em jornais e artigos científicos. A linguagem conotativa se refere ao uso subjetivo da palavra, frequente em textos literários.

Exemplo: A fera foi controlada pelo domador x Ela fica uma fera quando a ignoram.

  • Vícios de Linguagem: são as construções sintáticas divergentes da norma culta. São exemplos:
  • Pleonasmo: repetição de um termo com o mesmo significado na mesma oração. Exemplo: “rir meu riso”
  • Barbarismo: erro na grafia ou pronúncia de determinada palavra. Exemplo: pobrema (problema)
  • Redundância: quando a informação é expressa mais de uma vez. Exemplo: conclusão final
  • Cacofonia: sons desagradáveis formados  pela combinação do final de uma palavra com o início da seguinte. Exemplo: não fiz, já que tinham me falado que ela o faria.
  • Ambiguidade: duplicidade de sentido das palavras. Exemplo: Prenderam o cachorro do menino.

O que é Estilística – conceito, tipos e aplicações
5 (100%) 1 vote
Voltar ao topo

Deixe um comentário