Regras para o uso da vírgula

Dicas de como usar a vírgula para separar elementos e orações, antes de conjunções e, também, quando não se deve utilizar o sinal de pontuação.

Os sinais de pontuação são utilizados para expressar diferentes situações, como exclamação, interrogação, enumeração ou finalização de um período. Normalmente, seu uso no discurso é muito prático e relacionado à sua própria função na frase. Porém, nem todos os sinais possuem essa facilidade e sua aplicação confunde a cabeça de muita gente.

É o caso da vírgula, sinal de pontuação cuja função é separar elementos dentro de uma oração ou, ainda, orações dentro de um período. A flexibilidade de uso da vírgula provoca, ainda, bastante confusão para o leitor e escritos de forma a levá-los a se perguntar quais são as regras de uso para vírgula.

Confira, a seguir, as principais regras para utilização da vírgula no discurso, além de dicas que vão te ajudar a não errar!

Separar elementos em uma oração

Um dos usos mais comuns da vírgula é para separar termos que estejam em uma oração, tendo ou não a mesma função sintática.

Elementos com a mesma função sintática

Quando elementos com a mesma função sintática não estão separados por conjunções (ou, nem, e), usa-se a vírgula. Exemplos:

  • No estádio, concentravam-se torcedores do Brasil, Inglaterra, Itália e Estados Unidos.
  • Fui à feira e comprei queijo, tomates, café moído e alface.

Uma dica aqui é analisar que os elementos separados pela vírgula poderiam ser listados.

No estádio, concentravam-se torcedores do:

  • Brasil
  • Inglaterra
  • Itália
  • Estados Unidos

Elementos com função sintática diferente

Se os elementos de uma oração forem de diferentes funções sintáticas, a vírgula é usada para isolá-los ou realçá-los. Veja como:

  • Aposto e outros elementos explicativos é isolado: Ex: Marcos, o ex-namorado dela, tentou contato recentemente. Explicações que vêm no meio da frase são mudanças de pensamento e devem ser separadas por vírgula.
  • Vocativo, mesmo quando usado no início de cartas e comunicações é isolado. Ex: Prezados senhores / Camila, venha já para dentro!
  • Advérbios sim e não são isolados se iniciam uma oração no sentido de dar uma resposta. Ex: Sim, eu vou para casa hoje / Não, não viajarei nas próximas férias.
  • Em datas, a vírgula isola o nome do lugar. Ex: Goiânia, 23 de setembro de 2018.
  • O elemento pleonástico é isolado quando vem antes do verbo. Ex: Os vestidos mais escuros, estes usarei nos dias de inverno.
  • O adjunto adverbial pode ser isolado caso esteja no início ou meio da oração mas, a vírgula é dispensada nos casos em que o adjunto for, apenas, um advérbio. Ex: Minha mãe, calma e silenciosamente, entrou no quarto / O juiz nunca acreditará na história dele.
  • Elementos repetidos são isolados pela vírgula. Ex: Cristina passou por aqui com muita, muita pressa!
  • Expressões intercaladas na oração são isoladas (contudo, por exemplo, além disso, todavia, enfim, logo, além disso. Ex: O rapaz veio aqui te procurar, porém, já foi embora porque estava com pressa.
  • A supressão da palavra pode ser indicada por uma vírgula, especialmente, um verbo. Ex: Darei aulas nas terças de manhã; Ludmila, nas quintas à tarde.

Separar orações em um período

Existem diferentes regras para a separação de orações em um período. Orações independentes, ou seja, que têm sentido fora do contexto, por exemplo, devem ser separadas por vírgula. Veja quais são as regras de forma mais detalhada.

Orações coordenadas sindéticas

São orações ligadas por meio de conjunções e, nelas, usa-se a vírgula quando não são introduzidas pela conjunção “e”. Exemplos:

  • Ou você me liga hoje, ou não precisa me ligar mais.
  • Eu planejei viajar para Gramado mas, acabei mudando de ideia.

Orações coordenadas assindéticas

Orações que não estejam ligadas por meio de conjunções mas, por uma pausa. Exemplos:

  • Não consegui acordar cedo, nem malhar, nem estudar hoje.
  • Quero ganhar dinheiro para viajar, comprar um carro, financiar um apartamento.

Orações subordinadas adverbiais antepostas

Estas e aqueles reduzidas do gerúndio, infinitivo e particípio que equivalem a uma oração adverbial são separadas pela vírgula. Exemplos:

  • Se chover, não conseguiremos ir à praia.
  • Chovendo, ir à praia fica impossível.

Orações intercaladas

Orações subordinadas adjetivas explicativas e intercaladas devem ser isoladas pela vírgula. Exemplos:

  • O presidente, que está com a popularidade afetada, publicou novo pacote de medidas hoje.
  • O ideal, comentou meu avô, é acordarmos mais cedo para chegarmos a tempo no lugar.

Antes da conjunção “e”

Usamos a vírgula antes da conjunção “e” nos seguintes casos:

  • conjunção não transmite noção de adição mas, de um valor diferente. Ex: Ela saiu  mais cedo de casa, e mesmo assim, chegou atrasada na escola.
  • orações coordenadas com sujeitos distintos. Ex: Eu me formei em Geografia, e ele preferiu estudar História.
  • conjunção usada de forma repetida para enfatizar algo. Ex: O funcionário chega, e limpa, e organiza, e distribui as caixas.

Quando não se pode usar a vírgula?

Em alguns casos, o uso da vírgula não é permitido em uma frase. Elementos principais seguidos na oração, por exemplo, não podem ser separados, como sujeito e predicado, verbo e objetos, objeto direto e indireto. Exemplos:

  • Janaína comprou uma blusa para a filha.
  • O professor deu notas baixas para toda a classe.

Como cai na prova

Prova: Analista Administrativo
Órgão: TJ-SC
Ano: 2018
Banca: FGV

Observe a charge a seguir:

Uso da vírgual

Sobre a frase dita por Einstein, é correto afirmar que:

  1. o termo “Galileu”, por ser um vocativo, deveria ser colocado no início da frase;
  2. o adjetivo “brilhante”, por ser um adjetivo qualificativo, deveria vir antes do substantivo “mente”;
  3. o pronome “nós”, implícito em “estávamos esperando” se refere a todos os habitantes do céu;
  4. o termo “Galileu” deveria aparecer entre vírgulas, por ser um vocativo;
  5. o emprego da forma “olha” é desaconselhável por pertencer à linguagem coloquial.
Regras para o uso da vírgula
5 (100%) 2 votes
Voltar ao topo

Deixe um comentário