Banco do Brasil: Bolsonaro afirma que não há intenção de privatização

Primeiras informações sobre o tema haviam sido publicadas pelo Globo. Em entrevista ao veículo, presidente do BB, Rubem Novaes, disse que medida é inevitável.

Em coletiva de imprensa no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que não pretende vender o Banco Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF) à iniciativa privada. As primeiras informações sobre o tema foram publicadas pelo Globo, no dia 3 de dezembro.

Segundo Bolsonaro, o assunto integra série de especulações. “Da minha parte não existe qualquer intenção de pensar em privatizar Banco do Brasil ou Caixa Econômica. Zero”, afirmou.

O Globo usou como informações o conteúdo da reunião do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), no qual o ministro da Economia, Paulo Guedes, participou. Na época, Guedes afirmou que privatizações do tipo poderiam garantir uma receita de R$ 250 bilhões.

Em nota ao Globo, o Ministério da Economia informou que o governo Bolsonaro não pretende privatizar Banco do Brasil, tampouco a Caixa e a Petrobras. No entanto, em entrevista ao mesmo veículo, o presidente do BB, Rubem Novaes, disse que essa mesma medida é inevitável.

Dólar

O presidente do Brasil também negou tentativa de elevar artificialmente o preço do dólar em relação ao real. Essa discussão surgiu após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar, via Twitter, que imporia tarifas sobre o aço e o alumínio do Brasil. Para Trump, a decisão ocorre em resposta ao que ele chamou de depreciação da moeda brasileira.

Apesar do anúncio, Bolsonaro disse que não decidiu sobre imposição de tarifas. Também negou qualquer decepção com o presidente norte americano. “Tem um certo exagero no que está acontecendo, está certo? Por enquanto não foi sobretaxado nada, só tem a promessa dele no Twitter. Várias vezes o Roberto Campos interferiu vendendo dólares. Nós não queremos aqui aumentar artificialmente, não estamos aumentando artificialmente o preço do dólar”, afirmou.

Confira também: Bolsonaro quer isenção do IR para quem ganha até R$ 2 mil

Voltar ao topo

Deixe um comentário