Aposentados e inscritos no BPC podem receber novo auxílio de R$ 1.045

Ação busca garantir renda extra a idosos e pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade durante a pandemia.

Grana extra na pandemia! O Projeto de Lei nº 3022/20, em tramitação na Câmara dos Deputados, pode criar um novo benefício ao grupo de idosos e pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade. Nomeado de auxílio-cuidador, a proposta tem autoria das deputadas Maria do Rosário (PT-RS) e Rejane Dias (PT-PI) e planeja oferecer uma ajuda financeira adicional a essas pessoas durante a crise.

O valor proposto é de um salário mínimo, atualmente em R$ 1.045. Um dos critérios estabelecidos para o recebimento do benefício envolve o teto máximo de renda do contemplado, que não pode ultrapassar quatro salários mínimos.

Pelo tom do texto, o dinheiro servirá como recurso para a contratação de cuidadores, que podem ser tanto profissionais da área quanto familiares, principalmente àqueles que necessitam de terceiros para realizar suas atividades diárias. O intuito é proporcionar condições de uma vida melhor e mais digna.

Quem poderá solicitar?

O projeto define algumas regras de concessão do benefício, que estabelece como cidadãos favorecidos:

  • Aposentados por invalidez, que recebem adicional de 25% sobre o valor da aposentadoria (neste caso, o benefício deverá complementar o adicional de 25% até o valor de um salário mínimo);
  • Pessoas com deficiência e idosos carentes que já recebem o Benefício da Prestação Continuada (BPC).

Sobre a solicitação

O próprio contemplado ou seu responsável legal, em casos de tutela ou curatela, poderão solicitar o auxílio-cuidador. O acompanhamento e fiscalização do benefício ficará a cargo dos conselhos municipais de assistência Social e estruturas semelhantes de cada município.

Os órgãos também ficarão encarregados de notificar as autoridades em casos de maus-tratos contra os segurados. Para saber mais sobre os tramites do projeto, acompanhe o site da Câmara dos Deputados.

Leia ainda: Conheça o benefício de R$ 800 que poderá substituir o auxílio emergencial

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário