Maia confirma que vai aprovar prorrogação do auxílio emergencial

O benefício pago para auxiliar a população de baixa renda, durante a pandemia de coronavírus, deve ser prorrogado por mais quatro meses no valor de R$ 300.

O presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, confirmou nesta terça-feira, 1°, que irá trabalhar para aprovar a prorrogação do Auxílio Emergencial anunciada pelo governo. Maia afirmou que é necessário ter cuidado para atender a população mais vulnerável e ao mesmo tempo não sinalizar negativamente para o descontrole do gasto público. De acordo com ele, as discussões sobre os valores serão realizadas com cuidado e responsabilidade.

“O importante era o governo ter tomado a decisão de encaminhar aquilo que o governo e a equipe considera possível. Vamos avaliar. Temos que ter muito cuidado, o auxílio é muito importante, mas os valores já vinham gerando um forte impacto nas contas públicas. No momento adequado, vamos colocar em votação”, afirmou à Agência Câmara.

Segundo anúncio do presidente Jair Bolsonaro, e de líderes do centrão, o benefício pago para auxiliar a população de baixa renda durante a pandemia de coronavírus deve ser prorrogado por mais quatro meses no valor de R$ 300.

Antes de fazer o anúncio à imprensa, Bolsonaro conversou com Rodrigo Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre sobre a decisão. O presidente da República afirmou ainda que irá enviar nesta quinta-feira,3, a Reforma Administrativa para apreciação pelo Congresso.

Veja quem recebe o Auxílio Emergencial

De acordo com projeto criado no início deste ano e da pandemia, o Auxílio Emergencial é destinado aos trabalhadores informais, autônomos, desempregados e Microempreendedores Individuais (MEIs).

Recebem o benefício, o cidadão maior de 18 anos, ou mãe com menos de 18, que esteja desempregado ou exerça atividade na condição de microempreendedor individual, contribuinte individual da Previdência Social e Trabalhador Informal.

Ainda, é necessário cumprir com limite de renda mensal. Os ganhos não devem passar meio salário mínimo (R$ 522,50) por pessoa, ou a renda familiar total deve ser de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

Veja também: Bolsonaro confirma: Auxílio emergencial vai pagar adicional de R$ 1.200

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário