scorecardresearch ghost pixel



Quer ser desenvolvedor de jogos? Veja quanto ganha esse profissional

A profissão de desenvolvedor de jogos está em alta, com o pagamentos de salários atrativos. Veja como entrar na área e se destacar.



Unir trabalho e diversão parece a fórmula de sucesso para o emprego dos sonhos, não é mesmo? E quando além disso, o salário também é um atrativo e tanto? Se você gosta de jogos e leva jeito para ser um desenvolvedor, saiba que essa profissão está valorizada no mercado de trabalho.

Leia mais: Conheça as profissões que têm emprego de sobra por falta de mão de obra

Hoje, no Brasil, o salário médio pago para um desenvolvedor de jogos é de R$ 8.200. Contudo, quem entra para a área pode conseguir salários ainda maiores a depender da empresa e do nível de formação.

Desenvolvedor de jogos

O mercado de jogos digitais registra cada vez mais aumento no faturamento. Só no Brasil, a receita passa de U$ 2,3 bilhões. Tal crescimento tem ampliado também a oferta de empregos na área, sendo que a maioria é na modalidade remota, o que permite que profissionais brasileiros trabalhem em empresas de qualquer canto do mundo.



A indústria dos jogos digitais também cresceu durante a pandemia da Covid-19. Afinal de contas, mais pessoas passaram a ficar longas horas em casa e foram obrigadas a encontrar novas opções de diversão. Por isso, se você pensa em ser um desenvolvedor de jogos, pode aproveitar o mercado aquecido para conquistar um bom espaço. Além disso, os cursos oferecidos online ajudam na formação daqueles que querem entrar para esse segmento.

Apesar do valor médio de R$ 8.200, considerando todos os níveis de formação, os salários para os profissionais mais experientes podem passar de R$ 16 mil. Além da remuneração atrativa, a oferta de vagas também chama a atenção de quem pensa em entrar no mercado dos jogos.

Se você quer se preparar para essas oportunidades, uma dica é começar o quanto antes um curso de Jogos Digitais ou Design de Jogos. Vale ressaltar que a graduação ajuda na formação dos estudantes, mas não é obrigatória para se conquistar uma vaga, visto que o conhecimento técnico vale muito mais nestes casos.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário