scorecardresearch ghost pixel



Valor médio ‘esquecido’ em bancos é de R$ 142 por CPF, diz Banco Central

Cerca de 28 milhões de pessoas físicas e jurídicas devem receber mais de 3,9 milhões nesta primeira rodada.



O Banco Central lançou o Sistema Valores a Receber (SVR), plataforma que possibilita a consulta de dinheiro “esquecido” em instituições financeiras. Desde o dia 14 de fevereiro, quando voltou ao ar, mais de 66 milhões de CPFs e CNPJs foram consultados.

Leia mais: Consultar dinheiro esquecido em banco de familiar falecido é possível; saiba como

Estima-se que um montante de R$ 8 bilhões será devolvido aos donos. Somente nesta primeira fase, a expectativa é que os bancos retornem 3,9 bilhões referentes a saldos residuais em contas, cobranças indevidas e outras operações para 28 milhões de pessoas.

O BC calcula que cada cidadão ou empresa terá direito a R$ 142,85 em média. A autoridade lembra que os saldos “variam muito entre os beneficiários”, ou seja, essa é apenas uma média e algumas pessoas podem ter muito mais a sacar do que outras.



Consulta de valores a receber

Para verificar se existe algum recurso em seu nome parado em instituições financeiras, acesse o site valoresareceber.bcb.gov.br e informe o CPF ou CNPJ e a data de nascimento ou de criação da empresa.

Neste primeiro momento, só é possível consultar a existência de saldo. A partir do dia 7 de março, os usuários serão autorizados a verificar os valores e solicitar a transferência, de forma escalonada, via Pix. Veja o calendário:



Fases do sistema

Os recursos disponíveis na primeira fase do sistema são referentes a:

  • Contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível;
  • Tarifas e parcelas ou obrigações ligadas a operações de crédito cobradas indevidamente (desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso);
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; e
  • Recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

O BC orienta a realização de uma nova consulta a partir do dia 2 de maio, quando recursos vindos de outras fontes também poderão ser consultados e resgatados por meio do sistema.




Voltar ao topo

Deixe um comentário