scorecardresearch ghost pixel



Existem horários certos das refeições para diabéticos?

Descubra o que diz uma pesquisa que apontou a interferência de horários certos das refeições para pessoas com diabetes. Os dados foram levantados com base em 4.6 mil pacientes.



Pessoas que convivem com diabetes estão se acostumar a enfrentar certas restrições em suas rotinas diárias. Uma delas está diretamente ligada à alimentação, já que o diabético deve evitar consumir alimentos com excesso de carboidratos e gorduras. No entanto, também é preciso saber o horário certo das refeições para evitar crises.

Veja também: 9 alimentos para melhorar o bom-humor de qualquer pessoa

Quais são os horários corretos das refeições para pessoas diabéticas

Recentemente, o The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism publicou um estudo importante sobre o tema. Ele descreve quais são os horários certos das refeições para pessoas que sofrem de diabetes.

Foram utilizados dados de 4.6 mil pacientes com a doença para chegar aos resultados divulgados. Não apenas os horários, mas o tipo de alimento consumido também entrou para a pesquisa.



Dados levantados sobre os horários para fazer as refeições:

Os pesquisadores perceberam que pessoas que comiam batatas e legumes ricos em amido pela manhã, grãos à tarde e folhas mais escuras à noite enfrentam menos problemas no coração.

Em contrapartida, aqueles que deixavam as noites para comer carnes processadas tinham o resultado oposto. Essas pessoas se mostraram mais suscetíveis a problemas cardíacos.

Algumas pessoas apresentam efeito imediato sobre a taxa de açúcar no sangue (glicemia). Elas precisam de alguma refeição seguinte para evitar picos hiperglicêmicos. Isso pode ocorrer em caso de insulina de ação rápida.

Na dúvida, sempre consulte o seu médico de confiança e converse com ele sobre os horários certos das refeições.



Extra: Quais são os tipos de diabetes existentes?

Na prática, os especialistas consideram que existem três tipos de diabetes: tipo 1, tipo 2 e diabetes gestacional. Além desses, há também o quadro de pré-diabetes, onde os pacientes quase sempre evoluem para a doença e já precisam iniciar o tratamento medicamentoso.

O tipo 1 é considerado como a forma mais grave da doença e tem causa genética, sem nenhum tipo de cura. 5% dos diabéticos convivem com esse mal, que se caracteriza pela incapacidade de produzir insulina. Isto é, o corpo humano não consegue eliminar o açúcar presente no sangue.

O diabetes gestacional ocorre apenas em mulheres grávidas e é caracterizado como alta taxa de glicose/açúcar no sangue. Ao final da gestação, esse quadro acaba desaparecendo. Já no caso do diabetes tipo 2, a característica é a resistência à insulina. O corpo apresenta dificuldade em retirar o açúcar da corrente sanguínea. A boa notícia é que bons hábitos alimentares podem controlar e até reverter a doença.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário