scorecardresearch ghost pixel



Saiba como não deixar o cartão de crédito te endividar

Confira algumas dicas para não deixar que o cartão de crédito se torne o principal motivo para a existência das suas dívidas. Aprenda a ter um bom relacionamento com o produto.



Quem nunca sonhou em ter um cartão com limite super alto e cheio de benefícios materiais? Pois é, o cartão de crédito é um bem que dá muita satisfação ao conquistar. No entanto, é preciso ter juízo para utilizar o benefício do crédito com sabedoria. Do contrário, as dívidas se apresentarão e podem se tornar uma dor de cabeça.

Veja também: Quem pode receber até R$ 1 mil do Auxílio Brasil?

Melhores dicas para não se afundar nas dívidas com o cartão de crédito

Entenda o que é preciso para fugir do endividamento causado pelo uso errado do cartão de crédito. Não deixe que um benefício se torne a raiz dos seus problemas.

Lembre-se das suas compras

Muitas pessoas esquecem que parcelaram algumas compras em 12 vezes no cartão de crédito. Elas acabam contraindo várias parcelas ao mesmo tempo, ficam sem limite e ainda não dão conta de pagar o total necessário. Certamente este é o começo de uma dívida gigantesca. O ideal é fazer um parcelamento por vez e sempre manter margem de crédito livre.



Cartão de crédito deve ficar longe de ser despesa mensal

Você precisa regrar os gastos com o cartão de crédito, principalmente, se está começando a ficar endividado por causa dele. O cartão não é uma conta fixa do mês, ou não deveria ser, pelo menos. Quite as parcelas e depois analise como você pretende utilizar o dispositivo. O ideal é manter o cartão para compras emergenciais.

Crédito não significa dinheiro a mais

Pode parecer óbvio mencionar isso, mas a verdade é que na prática as coisas não são tão claras assim. Existem consumidores que encaram o cartão de crédito como um dinheiro extra no mês. É como se o limite do cartão se somasse ao salário para que a pessoa possa gastar mais. Não faça isso, pois o seu salário é justamente o que vai pagar o cartão todos os meses.

Aliás, procure sempre manter uma margem confortável para pagamento. Assim, o ideal é que os gastos com o cartão de crédito não superem entre 10% e 30% do valor líquido de seu salário. Isso fará com que você mantenha suas contas dentro do que é possível bancar. Se for necessário, se livre dos cartões.




Voltar ao topo

Deixe um comentário