scorecardresearch ghost pixel



Verdade ou fake: Quem está negativado pode pedir empréstimo?

Tire suas dúvidas sobre o empréstimo para quem está com o nome sujo e descubra se há chances de aprovação em linhas de crédito nesse caso.



Um levantamento feito pelo Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas no Brasil, sob comando da Serasa, mostra que, em fevereiro deste ano, cerca de 65 milhões de cidadãos estavam endividados.

Leia mais: Se meu nome for para o SPC, posso ter o Auxílio Brasil bloqueado?

O número chama a atenção para a grande parcela da população brasileira que está com dificuldade em pagar suas contas, sobretudo diante da crise que afeta a renda de muitas famílias.

A situação de negativado pode ser empecilho para conseguir empréstimos em bancos ou aprovação em serviços de cartão de crédito. Mas será que essa regra se aplica a todos as instituições financeiras do mercado? Descubra abaixo!



Dá para pedir empréstimo com o nome sujo?

De antemão, os cidadãos que estão negativados podem solicitar empréstimos e serem aprovados. Porém, a dica é pensar bem antes de contrair mais uma dívida para que ela não complique ainda mais a organização financeira.

Muitas empresas, inclusive, apostam no crédito para negativados. Algumas opções possibilitam que a pessoa com o nome sujo contrate um empréstimo a juros e encargos mais baixos. Dentre os destaques podemos citar a Creditas, o Banco do Brasil, o Jeitto e a Finanzero.

Outra forma de conseguir empréstimo estando negativado é por meio da modalidade de empréstimo consignado. Os recursos são liberados comumente a servidores públicos, aposentados e pensionistas do INSS. Entretanto, existem bancos liberam recursos também para quem possui carteira assinada.

Por fim, é no empréstimo consignado que os juros costumam ser mais baixos, pois existe a garantia de pagamento das prestações do acordo com desconto direto na folha de pagamento ou holerite da pessoa. A recomendação é escolher a oferta que oferece juros baixos, bem como Custo Efetivo Total (CET) reduzido.




Voltar ao topo

Deixe um comentário