scorecardresearch ghost pixel



Famílias na fila de espera do Auxílio Brasil vão receber as parcelas de R$ 600?

Pessoas na fila de espera do Auxílio Brasil em 2022 estão com expectativa de inclusão no programa após aprovação da PEC.



Criado para ajudar famílias em situação de vulnerabilidade, mais especificamente em condição de pobreza e extrema pobreza, o Auxílio Brasil vai oferecer um aumento no piso aos seus assistidos. Entre os meses de agosto e dezembro, o benefício terá o valor mínimo de R$ 600.

Leia mais: Novo empréstimo de R$ 1,5 mil para Auxílio Brasil é confirmado no Senado

O aumento faz parte da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) promulgada há algumas semanas no Congresso Nacional. Desde que o pacote de medidas foi anunciado, pessoas que estão na fila de espera do Auxílio Brasil em 2022 estão com a expectativa de inclusão no programa, dada a nova liberação de recursos para os pagamentos.

Situação da fila de espera do Auxílio Brasil

Na última segunda-feira, 25, o ministro da Cidadania, Ronaldo Vieira Bento, teve acesso ao documento que pede explicações a respeito da fila de espera do Auxílio Brasil. A solicitação que demanda transparência no número de famílias contempladas partiu de parlamentares. No geral, o documento requere uma descrição completa e histórica por estado.



O documento encaminhado à pasta da Cidadania foi feita pelo senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) e os deputados Tabata Amaral (PSB-SP) e Felipe Rigoni (União-ES). Os parlamentares pedem que sejam apresentados de forma clara os números reais de pessoas que estão na fila para entrada no programa, tendo com o referência os dados do Cadastro Único (CadÚnico).

Informações do portal Globo mostram que no mês de julho, cerca de 1.568.728 famílias aguardavam o acesso ao Auxílio Brasil. A descoberta desse quantitativo foi obtida por meio da Lei de Acesso à Informação.

Falta de acesso às informações

Apesar da divulgação, parlamentares alegam que ainda não dá para saber a real quantidade de famílias que cumprem os requisitos do programa, mas ainda estão de fora dele.

Como forma de questionamento para esses números, o documento alega que “não é possível identificar qual o número real de cidadãos que preenchem todos os requisitos para receber o Auxílio, mas estão esperando nas filas do programa”.

Além disso, os parlamentares alegam que devido à falta de informações completas, o cruzamento de dados a respeito do programa, e da fila de quem aguarda a entrada, acabam esbarrando nos acessos restritos do Ministério da Cidadania.

Nesse sentido, ainda não dá para afirmar se novas famílias entrarão no programa a partir do próximo mês, ou se isso será feito de forma gradativa. O fato é que o governo vai destinar R$ 26 bilhões dos R$ 41,2 bilhões aprovados pela PEC para turbinar o Auxílio Brasil. Mas se a decisão for de inclusão, 1,6 milhão de novas famílias serão atendidas muito em breve.




Voltar ao topo

Deixe um comentário