scorecardresearch ghost pixel



Gasolina abaixo de R$ 6 o litro é motivo de comemoração entre os motoristas

Preço médio do combustível registrou queda de 17,4% no mês de julho, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP).



O preço médio da gasolina teve queda de 17,4% durante o mês de julho no país, mostram dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A redução é comemorada por muitos motoristas, especialmente pelos profissionais que atuam no setor de transporte.

Leia mais: Gás de cozinha a R$ 70 em 2023? Entenda a promessa

A mudança foi causada especialmente pela limitação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos combustíveis. O Congresso Nacional aprovou em junho o projeto que cria um teto para a cobrança do imposto pelos estados.

Os entes federativos, que até então tinham autonomia para determinar a alíquota, precisam respeitar o teto de 17% ou 18%. No Rio de Janeiro, por exemplo, o percentual anterior de ICMS cobrado dos consumidores era de 32%.



Para acentuar ainda mais a queda, o governo zerou os impostos federais (PIS/Cofins) até o fim de 2022. Além dos impostos, o preço final da gasolina é composto por: realização da Petrobras, custo com distribuição e revenda e acréscimo de etanol anidro.

Petrobras anuncia redução

A Petrobras também anunciou um corte de 3,9% no preço da gasolina vendida em suas refinarias com validade a partir de 29 de julho. O combustível passa de R$ 3,86 para R$ 3,71 por litro.

Com a redução, a parcela da estatal no valor final repassado ao consumir cai, em média, de R$ 2,70 para R$ 2,81 a cada litro (-3,91%). Segundo a estatal, a redução “acompanha a evolução dos preços de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina”.

Preço médio por estado

Confira o preço médio da gasolina em cada estado e no Distrito Federal, conforme pesquisa da ANP realizada entre 17 e 23 de julho:

  • Acre: R$ 6,14;
  • Alagoas: R$ 5,92;
  • Amapá: R$ 5,27;
  • Amazonas: R$ 6,06;
  • Bahia: R$ 6,21;
  • Ceará: R$ 6,13;
  • Distrito Federal: R$ 5,62;
  • Espírito Santo: R$ 5,97;
  • Goiás: R$ 5,66;
  • Maranhão: R$ 6,24;
  • Mato Grosso: 5,90;
  • Mato Grosso do Sul: R$ 5,54;
  • Minas Gerais: R$ 5,76;
  • Sergipe: R$ 5,76;
  • Pará: R$ 5,96;
  • Paraná: R$ 5,78;
  • Paraíba: R$ 5,80;
  • Pernambuco: R$ 6,20;
  • Piauí: R$ 6,21;
  • São Paulo: R$ 5,78;
  • Rio Grande do Sul: R$ 5,80;
  • Santa Catarina: R$ 5,82;
  • Rondônia: R$ 5,89;
  • Roraima: R$ 6,25;
  • Rio de Janeiro: R$ 5,98;
  • Rio Grande do Norte: R$ 6,35.
  • Tocantins: R$ 6,17.

As cidades com os menores valores por litro são: Passos (MG): R$ 5,09; Macapá (AP): R$ 5,12; Santana (AP): R$ 5,12; Sorocaba (SP): 5,19 e Salto (SP): R$ 5,19. Já os municípios com o litro de gasolina mais caro são: Altamira (PA): R$ 7,75; Tefé (AM): R$ 7,60; São Paulo (SP): R$ 7,49; Balsas (MA): R$ 7,49; e Araripina (PE): R$ 7,43.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário