Concurso IBGE 2018: Pedido com 1.800 vagas protocolado

Solicitação foi enviada em dezembro do ano passado, com a maioria das vagas depositadas no cargo de técnico, exigindo nível médio.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) espera ter novo concurso em breve! O órgão protocolou, em dezembro do ano passado, pedido com 1.800 vagas junto ao Ministério do Planejamento. Do total de vagas, 1.200 se destinam ao cargo de técnico.

O último concurso realizado pelo Instituto foi no ano de 2015, quando foram disponibilizadas 600 vagas imediatas mais cadastro de reserva. O órgão abriu, também, quatro editais de processos seletivos destinados ao Censo Agropecuário 2017.

O próximo edital para o IBGE foi tema de reunião realizada no dia 08 de março. O diretor da Associação e Sindicato Nacional dos Servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (Assibge), Paulo Lindsay, alertou sobre o caráter de urgência do concurso do IBGE.

Caso o certame não aconteça, há o risco de o serviço do órgão ser inviabilizado nos próximos anos. Ele menciona a contratação de trabalhadores temporários, alocação indevida de estagiários e a terceirização.

O sindicalista destacou também a necessidade de convocação de novos servidores ainda no primeiro semestre de 2018 por conta da realização do próximo censo demográfico.

A questão de aposentadorias reforça a cobrança de posicionamento quanto à autorização do próximo certame. Segundo o diretor da ASSIBGE, a previsão é de que 25% do quadro de servidores se aposente. Com isso, o órgão teria 1.400 postos vacantes. A maior queda apresenta-se na carreira de técnico, com redução de 60,7% dos servidores.

No ano passado, a previsão era de que 1.900 servidores pedissem aposentadoria. No entanto, 500 acabaram deixando o órgão, enquanto o saldo segue em abono permanência. Porém, pode ser que o déficit aumente, motivo de urgência na autorização do próximo concurso.

O estado que mais sofre com o déficit é o Rio de Janeiro. Das 617 aposentadorias protocoladas em 2017, 258 servidores eram provenientes das agências fluminenses. O número corresponde a 41,82% das saídas registradas no ano passado, alavancando a região Sudeste como a que mais perdeu servidores do IBGE.

Comece a se preparar com antecedência: Apostilas baseadas em editais anteriores nos cargos de TÉCNICO EM INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS E ESTATÍSTICAS, AGENTE DE PESQUISAS E MAPEAMENTO e RECENSEADOR

Atualizações

Em fevereiro, o IBGE registrou mais 86 aposentadorias. O Rio de Janeiro segue com a preocupante primeira posição na perda de servidores – 43 aposentados. Em seguida, vem o estado de São Paulo, com 12 servidores em aposentadoria.

Membros do Ministério do Planejamento, IBGE e Assibge (Associação e Sindicato Nacional dos Servidores do IBGE) se reuniram em 28 de março para discutir os rumos do órgão.

Um dos pontos tratados foi a unificação de cargos, além da substituição de vagas em cargos de nível médio por superior e a realização do próximo concurso.

De acordo com o informado pela Assibge, o Governo, em consolidar três cargos – analista, pesquisador e técnico, porém, foram apontados problemas na unificação. A sugestão, então, é a criação de três carreiras e três cargos. Isso seria mais seguro e adequado, do ponto de vista jurídico.

A direção do IBGE esclarece, em relação à substituição de postos, que a proposta é substituir 30% dos postos vagos em cargos de nível médio pelo equivalente nas carreiras de nível superior.

O sindicato não concordou com a proposta e uma alternativa foi enviada, porém, recusada pela direção e secretaria do IBGE.

Segundo o Instituto, para a criação de cargos, nova previsão orçamentária seria necessária, o que não é previsto atualmente. Nova reunião foi agendada para 22 de maio na qual minuta que altera a Lei 11.355 deve ser apresentada. O texto trata, exatamente, da carreira de servidores do Instituto.

Quanto ao novo concurso, Paulo de Tarso Campolina, diretor de relações de trabalho no serviço público e representante do Planejamento, afirma não haver, até o momento, autorização para o pedido com 1.800 vagas.

O que esperar do Concurso IBGE 2018

Como mencionado, o órgão registrou pedido com 1.800 vagas, sendo que 1.200 seriam destinadas à carreira de técnico. As demais, seriam encaminhadas para a carreira de analista e cargos de nível superior. Os cargos exigem formação em níveis médio e superior, respectivamente.

O pedido se encontra, atualmente, na Divisão de Concursos do Planejamento. Se aprovado, o certame deverá avaliar seus candidatos por meio de provas objetivas. O certame deverá ter dois anos de validade, a partir de sua homologação, podendo ser prorrogado por mais dois.

A expectativa pela autorização do concurso é grande, inclusive, porque o último concurso tem validade expirada em maio de 2018.

Novo encontro foi promovido, desta vez, no dia 02 de março. Nele, o secretário de Recursos Humanos do Planejamento, Augusto Akira Chiba, mostrou-se aberto ao diálogo, mas, manteve o discurso proferido pelo ministro da Pasta, Dyogo Oliveira.

Ou seja, os concursos já autorizados neste ano, como da PF e PRF, serão prioridade. Quanto ao certame para o IBGE, Chiba afirma que é necessário promover uma série de consultas. Sendo assim, ainda não é possível afirmar previsão certa para lançamento de novo edital. Um terceiro encontro foi marcado para o dia 10 de abril.

Concurso IBGE 2015

O órgão lançou seu último concurso público em 2015, tendo a Fundação Getúlio Vargas (FGV) como banca organizadora. O certame disponibilizou 460 oportunidades na carreira de técnico em informações geográficas e estatísticas e 140 para carreiras de nível superior.

No primeiro edital, as 140 vagas foram distribuídas entre diversas áreas, como Análise de Sistemas, Jornalismo/Redes Sociais e Engenharia Civil. No segundo edital, as 460 vagas foram destinadas às carreiras de técnico e analista. Remunerações variaram entre R$ 3.556,85 e R$ 9.192,88. Confira o quadro detalhado:

Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas constituídas por 60 questões. Os exames foram aplicados em 19 estados brasileiros e registrou a participação de 561.482 candidatos. A demanda geral foi de 935 candidatos por vaga.

O cargo que mais recebeu inscrições foi o de técnico, com 523.899 candidatos. As cidades que registraram maior número de inscrições para a carreira foram São Paulo (34.349), Salvador (35.778) e Rio de Janeiro (48.923).

Todos os candidatos previstos em edital foram convocados, além das 300 nomeações adicionais solicitadas pelo órgão. As últimas convocações foram autorizadas em abril de 2017.

Processos Seletivos IBGE

Ao longo dos dois últimos anos, o IBGE liberou quatro editais de processos seletivos destinados à contratação temporária de profissionais para atuar no Censo Agropecuário 2017.

O IBGE havia lançado o edital do PSS em 2016, tendo a Fundação Cesgranrio como banca organizadora. Porém, o processo acabou sendo cancelado devido a problemas de verba, graças à redução do orçamento para o Censo Agropecuário de R$ 330.800.000 para R$ 266.856.444.

O edital 01/2017 lançou 1.039 vagas distribuídas entre os cargos de Analista Censitário (Nível Superior) e Agente Censitário – Administrativo, Regional e de Informática (Nível Médio). Veja as especialidades atendidas:

 

O edital 02/2017 lançou 24.984 vagas distribuídas entre os cargos de Agente Censitário – Municipal e Supervisor (Nível Médio) e Recenseador (Nível Fundamental). Veja as especialidades atendidas:

 

O edital 03/2017 lançou a contratação temporária de 1.152 recenseadores. O intuito era disponibilizar vagas para as UF’s não atendidas no processo anterior. Não foi um novo PSS, mas, um complemento ao edital anterior, cujas inscrições foram abaixo das oportunidades ofertadas.

Por fim, o edital 04/2017 trouxe 32 vagas de nível médio para os cargos de Agente Censitário Municipal e Agente Censitário Supervisor. Os processos seletivos têm validade de dois anos.

Provas Concurso IBGE 2018

O edital do Concurso IBGE 2018 ainda não foi liberado. No entanto, os candidatos poderão ser avaliados conforme o aplicado no edital anterior. As provas foram aplicadas conforme o cargo pretendido.

Candidatos ao cargo de técnico em informações geográficas e estatísticas foram avaliados por meio de provas objetivas, conforme abaixo:

Já candidatos aos cargos de analista e tecnologista passaram por provas objetivas e discursivas, conforme descrito abaixo:

  • Analista e Tecnologista (exceto Análise de Sistemas/Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologista – Área de Conhecimento de Estatística)

  • Tecnologista (Área de Conhecimento de Estatística)

  • Analista ( Análise de Sistemas/Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologista)

 

As provas foram aplicadas nos 26 estados e Distrito Federal. Maiores informações sobre todo o processo poderão ser visualizadas pela página do concurso.

Sobre a banca organizadora

Conhecer o perfil da banca organizadora é de fundamental importância para obter sucesso nas provas. O último concurso, bem como os processos seletivos do IBGE, foram organizados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O nível das provas da FGV depende do órgão para o qual o concurso se presta. Habitualmente, os exames são de múltipla escolha com cinco alternativas. As questões, por sua vez, são bem distribuídas entre os itens presentes no edital. Ao contrário de outras bancas, não costuma repetir questões.

Nas provas de Português, equilibra interpretação textual, gramática e questões do Manual de Redação da Presidência. Em Direito, aplica questões multidisciplinares e casos práticos, além do texto de lei puro. As provas de Matemática contêm bastante conteúdo de análise combinatória, geometria, regra de três e porcentagem.

Para treinar com provas anteriores, basta acessar o site da FGV: fgvprojetos.fgv.br/concursos

Inscrições Concurso IBGE 2018

O pedido protocolado junto ao Planejamento ainda está sob análise, portanto, não há informações oficiais quanto ao lançamento do edital. Porém, o período de inscrições é aberto logo em seguida, o que exige a atenção dos candidatos quanto aos próximos comunicados.

Voltar ao topo



Deixe um comentário