Concurso Receita Federal: Órgão encaminha novo pedido com 2.153 vagas

Pedido para cargos de nível superior seguem em análise no Ministério do Economia. Acompanhe todas as atualizações.

Um dos certames mais esperados pelos brasileiros, o concurso Receita Federal, é sempre alvo de ansiedade e expectativa. Diante da necessidade de reforçar o quadro de pessoal, o órgão solicitou a realização de concursos em 2017 e 2018. Entretanto, por conta da restrição orçamentária, ambos foram arquivados.

Em 2019, a Receita Federal confirmou que encaminhou um novo pedido, dessa vez com 2.153 vagas. As oportunidades estão distribuídas entre as carreiras de analista-tributário (1.453) e auditor-fiscal (700). Os vencimentos são de R$ 12.142,39 para a primeira e R$ 21.487,09 para a segunda, incluindo auxílio-alimentação de R$ 458,00.

Atualmente o órgão passa por grande déficit de servidores, tendo em vista que o último concurso para provimento de efetivos foi realizado há mais de cinco anos.

Por se tratar de uma das seleções públicas mais concorridas do país, interessados em ingressar na carreira precisam manter um ritmo de estudos constante. Isso porque, quanto maior o tempo de preparação, maiores são as chances de alcançar bons resultados.

Preparação antecipada: Conheça já a Apostila Receita Federal do Brasil – Auditor

Apanhe todas as informações atualizadas a respeito do certame e não perca a chande de pleitear uma vaga em futuras oportunidades.

Concurso Receita Federal 2019

Bastante esperado, o concurso Receita Federal 2019 conta com pedido em análise pelo ministério da Economia. Se autorizado, o certame terá 1.453 vagas para analista-tributário e 700 para auditor-fiscal. A escolaridade mínima exigida para investidura é ensino médio em qualquer área de formação.

Diferente da última solicitação, enviada ao governo em 2018, esta não contempla carreiras de nível médio.

Como mencionado anteriormente, as remunerações iniciais são de R$ 12.142,39 para a primeira e R$ 21.487,09 para a segunda, incluindo auxílio-alimentação de R$ 458,00.

A contratação dos servidores da Receita Federal ocorre via regime estatutário, que confere maior estabilidade empregatícia.

Embora a aprovação seja muito aguardada, o posicionamento atual do governo é pela não autorização de certames.

Histórico e quadro atual

A Receita Federal encontra-se, hoje, com grande déficit em seu quadro de funcionários, principalmente nos cargos de analista e apoio (estes, de ensino médio, são ligados ao Ministério da Fazenda).

A proporção entre o quantitativo de servidores ingressantes e que saem da ativa é desigual, já que, anualmente, cerca de 600 funcionários da Receita se aposentam. Para se ter uma ideia, entre 2009 e 2014, o órgão recebeu 1.204 aprovados em concurso, contra 3.246 servidores que saíram da RFB.

A defasagem foi detectada pelo Tribunal de Contas da União e, por isso, espera-se que o certame da Receita Federal seja uma exceção à regra dos concursos suspensos pelo Governo Federal, em razão da alta necessidade que ameaça a realização satisfatória das atividades atribuídas ao órgão.

O próprio TCU alertou quanto à urgência em abrir o novo certame. De acordo com apontamentos do órgão, a Receita apresenta déficit acima de 20 mil servidores, contribuindo na queda da arrecadação do país.

Cargos e salários concurso Receita Federal

A função de auditor fiscal da Receita prevê que o servidor execute atividades de fiscalização, incluindo aduaneira; exame de contabilidade de empresas, órgãos, fundos e entidades; lançamento de crédito tributário e contribuições; decisões em processos administrativos e fiscais; dentre outras.

O analista tributário tem, entre suas atribuições, fiscalizar veículos e mercadorias; prestar informações ao contribuinte; apuração de imposto de renda; fornecer segurança às fronteiras; executar a admissão provisória de embarcações e veículos, além de agilizar procedimentos de bagagem; dentre outras.

A partir da última atualização salarial, os auditores e analistas tributários terão salário inicial de R$ 19.211,01 e R$ 10.674, 21, respectivamente. A remuneração ainda é acrescida de benefícios, como bônus eficiência para os lotados em postos aduaneiros, além de redução de 13 para 9 níveis de progressão de carreira.

Concurso Receita Federal 2012

A Receita Federal realizou concurso para o provimento de pessoal no posto de analista tributário em 2012, sob a organização da Escola de Administração Fazendária (Esaf). No edital, a oferta era de 750 vagas, sendo 700 para analista geral e 50 para a especialidade de informática.

Os candidatos passaram por duas etapas. A primeira foi constituída pela realização das provas objetivas e dissertativa. Já a segunda constava a chamada sindicância de vida regressa do candidato, através do envio de documentação exigida no edital para análise feita pela própria Esaf.

As provas objetivas foram divididas por base no conteúdo cobrado. Na prova 1, os inscritos responderam à 75 questões de conhecimentos gerais (Administração Geral, Direito Constitucional e Administrativo, Espanhol ou Inglês, Língua Portuguesa e Raciocínio Lógico-Quantitativo), cada uma com seu peso específico e pontuação mínima.

A prova 2 continha 60 questões de conhecimentos específicos por área, sendo Legislação Aduaneira, Contabilidade Geral e Direito Tributário para analista sem especialidade e Contabilidade Geral, Direito Tributário e Informática para analista de informática, também com seus respectivos pesos e mínimo de pontos.

Concurso Receita Federal 2014

A Receita Federal realizou concurso para o provimento de pessoal no posto de auditor fiscal em 2014, sob a organização da Escola de Administração Fazendária (Esaf). No edital, a oferta era de 278 vagas, sendo 264 de ampla concorrência e 14 para candidatos com deficiência.

Os candidatos passaram por duas etapas. A primeira foi constituída pela realização das provas objetivas e dissertativa. Já a segunda constava a chamada sindicância de vida regressa do candidato, através do envio de documentação exigida no edital para análise feita pela própria Esaf.

As provas objetivas foram divididas por base no conteúdo cobrado. Na prova 1, os inscritos responderam à 70 questões de conhecimentos gerais (Administração Geral Pública, Direito Constitucional e Administrativo, Espanhol ou Inglês, Língua Portuguesa e Raciocínio Lógico-Quantitativo), cada uma com seu peso específico e pontuação mínima.

A prova 2 continha 70 questões de conhecimentos específicos, sendo Legislação Tributária, Contabilidade Geral e Avançada, Direito Tributário, Auditoria, Comércio Internacional e Legislação Aduaneira , também com seus respectivos pesos e mínimo de pontos.

Concorrência e nomeações

Os concursos para provimento de vagas na Receita Federal são, normalmente, bastante concorridos. Em 2012, o órgão registrou 26.313 candidaturas, gerando concorrência geral de 131,56 por vaga. O índice considerado baixo para o nível do concurso deu-se em razão da aplicação de provas para os dois cargos no mesmo dia, reduzindo os interessados em mais de um cargo.

Preparação antecipada: Conheça já a Apostila Receita Federal do Brasil – Auditor

Em 2014, o volume de candidatos pulou para 68.540 inscritos. Mas, nada de desespero! Tenha em mente que, na hora da prova, apenas parte desse quantitativo comparece! Para se ter uma ideia, 31.943 candidatos, realmente, realizaram as provas.

No certame anterior, 14.109 participantes efetivaram sua candidatura. Ademais, o órgão tem tradição em convocar grande número de aprovados, ou seja, bem acima do previsto em edital.

Em 2014, o órgão disponibilizou 278 oportunidades, porém, 560 candidatos aprovados foram convocados. No certame anterior, lançado em 2012, o índice de convocações foi de 252 aprovados, mesmo que a oferta tenha sido de 200 vagas.

No concurso de 2009, a situação não foi diferente. Ainda que edital tenha disponibilizado 450 vagas, houve mais de 700 nomeações!

Dicas para passar no concurso da Receita Federal

Um dos principais itens para se dar bem em um concurso é conhecer sua banca organizadora. Pela tradição, os dois últimos certames para a Receita Federal foram organizados pela Esaf, portanto, há grandes chances ser escolhida novamente para o próximo.

A banca é conhecida por sua confiabilidade, mostrando-se como organizadora séria, sem casos de fraudes em seus exames. Além disso, possui grau mais elevado de dificuldade, já que costuma cobrar provas mais complexas em matérias como língua portuguesa e exatas.

As questões são de múltipla escolha e exige pontuação mínima nas disciplinas para classificação do candidato. Como o grau de dificuldade das provas é alto, o ideal é que o candidato se prepare bem em todas as matérias pois, há casos em que o inscrito fez boa pontuação em uma disciplina mas, foi desclassificado por nota ruim em outra.

Além do conhecimento da banca, é importante atentar-se ao peso das matérias constantes do conteúdo programático. Na parte dos conhecimentos gerais, Língua Portuguesa concentra maior número de questões e peso. Nos conhecimentos específicos, todo o conteúdo é cobrado e cada cargo tem uma disciplina de maior peso.

Ademais, uma parte que preocupa os candidatos são os critérios de desempate. Desse modo, no caso das provas da Receita, o primeiro critério é o fator idade (dando preferência aos maiores de 60 anos). Os demais variam de acordo com o cargo pretendido, portanto, leia bem o edital para se preparar

O que cai no concurso Receita Federal?

Diante da expectativa de novo concurso público para a Receita Federal, o mais indicado é reforçar os estudos!

Para não perder tempo precioso e direcionar seu foco no conteúdo certo, confira algumas dicas do que foi cobrado em certames anteriores.

A primeira é JAMAIS deixar de lado a parte de conhecimentos gerais. O peso de disciplinas como Língua Portuguesa é grande e um diferencial na contagem de pontos. Como o próximo concurso deve ser elaborado pela EFAF, considere o mínimo de acertos necessários para não ser eliminado.

Em segundo lugar, fique “craque” em Direito Tributário e Contabilidade Geral e Avançada. Afinal, são conteúdos pertinentes ao próprio cargo, portanto, você precisa dominá-los!

Portanto, veja alguns temas recomendados por especialistas na área:

  • Política de Segurança da Informação na RFB
  • Evolução dos métodos de gestão (nova gestão pública)
  • Fiscalização contábil, financeira e orçamentária
  • Governança, governabilidade e accountability
  • Poder Legislativo
  • Controle Orçamentário e mensuração de desempenho
  • Organização dos Poderes
  • Elaboração, Gestão e Avaliação Anual do PPA
  • Tipos de Constituição
  • Modelo de gestão do PPA

Mais duas matérias são importantes e, se bem preparadas, garantem boa colocação no certame – Legislação Aduaneira e Comércio Internacional. Aliás, as duas disciplinas foram consideradas decisivas nos últimos concursos.

Concurso Receita Federal 2020

Com dois pedidos de concurso arquivados nos últimos anos, a expectativa dos concurseiros é de que um novo certame seja finalmente divulgado em 2020.

Dessa forma, os interessados em concorrer a uma vaga no órgão devem ficar atentos às próximas novidades de um possível concurso Receita Federal 2020.

Preparação antecipada: Conheça já a Apostila Receita Federal do Brasil – Auditor

Concurso Receita Federal: Órgão encaminha novo pedido com 2.153 vagas
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário