Ativo imobilizado

Na contabilidade, estes ativos representam os fatores que as organizações possuem para conseguirem se manter. Confira os exemplos e saiba como é realizado o registro contábil

Os ativos imobilizados, na contabilidade, são representados por bens e direitos que a empresa obtém para conseguir manter suas atividades em funcionamento.

O termo também é conhecido como ativo fixo e alguns são exemplos são os edifícios, terrenos, máquinas, além de outros. Os ativos imobilizados aparecem parte de ativos não circulantes da organização. Além disso, podem também, aparecer como os ativos realizáveis a longo prazo. Levando em conta que o órgão não tenha intenção de vendê-los.

Dessa forma, estes ativos são conhecidos como tangíveis. Tal como o edifício que a empresa está instalada.

Ativos imobilizados: Exemplos

  • Imóveis (terrenos e edifícios);
  • Móveis e utensílios;
  • Veículos;
  • Máquinas e equipamentos.

Estes ativos, portanto, aparecem no balanço com seus valores reduzidos, quando comprados aos valores que já foram adquiridos. Neste caso, eles são considerados depreciações.

Ativos imobilizados: Registro contábil

Acontece um custo de aquisição quando a empresa adquire um dos ativos imobilizados e o registro é feito ao valor que foi comprado.

Assim sendo, todos em custos em volta precisam ser envolvidos no valor de aquisição de ativo imobilizado para que haja o registro contábil. Por exemplo:

  • Valor de compra;
  • Custos de instalação;
  • Custos de frete;
  • Impostos não recuperáveis;
  • Outros custos relacionados ao ativo.

Há outros valores que deduzem o valor de registro do ativo. Os descontos comerciais, abatimentos, impostos recuperáveis, por exemplo.

Em casos de todo os custos de aquisição dor menor que R$ 1.200,00 ou se o prazo de vida útil for inferior a 1 ano, o registro contábil do ativo imobilizado é facultativo.

Ativo imobilizado
Avalie
Voltar ao topo

Deixe um comentário