Auditoria

O termo se refere ao processo de análise de registros financeiros de uma empresa. O objetivo é saber se há a necessidade de alguma correção em áreas específicas. O processo deve ser realizado por profissionais qualificados para isso. Entenda como a auditoria funciona, quais são seus tipos e quem pode realizá-la.

Auditoria. Esse termo vira e mexe é falado, mas você sabe qual é o significado do termo na prática? Se sabe, este é o momento de aprimorar seus conhecimentos. Agora, se não sabe, chegou a hora de não ter mais nenhuma dúvida sobre o assunto.

Bem, em uma empresa, o conceito se refere a um processo de verificação de todos os registros financeiros e de operações. Basicamente, o método é utilizado para saber se há alguma falha que precisa ser corrigida.

No Brasil, verificar os registros fica a cargo dos profissionais qualificados para isto e que respeitam a normas profissionais. Estas, inclusive, são feitas pela NBC que quer dizer Normas Brasileiras de Contabilidade.

Assim sendo, como se refere à empresa como um todo, o processo pode ser dividido em naturezas distintas. Esta divisão pode ser em auditoria interna e externa, com auditorias operacionais ou auditoria contábeis, por exemplo.

Entenda melhor sobre cada uma delas:

Auditoria Interna

A auditoria interna é realizada quando a empresa faz uma análise de todos os seus processos e falhas que possam estar acontecendo. Neste caso, o processo é feito por ela mesma e em um setor próprio.

Por meio dela, os administradores conseguem ter um maior controle sobre as atividades. O que permite, até mesmo, possíveis fraudes que podem estar sendo feitas. Em empresas de grande e médio porte, em que há muito desvi de planejamentos, a inclusão da auditoria é muito comum.

Auditoria Externa

Profissionais independentes que não possuem nenhuma ligação com a empresa são quem realizam a auditoria externa. Para tal, eles precisam de obter uma especialização e regulamentação.

Este método é utilizado como uma medida de segurança da empresa para os investidores. Dessa forma, é realizada uma certificação dos registros contábeis e também é feita uma análise operacional. Ao final, os resultados são emitidos em relatórios.

Auditoria interna e Auditoria externa: diferenças

O que diferencia as duas auditorias é que os auditores internos são formados por funcionários da empresa em um setor próprio. Em contrapartida, os auditores externos são independentes, com contratos em forma de consultoria.

No entanto, apesar das diferenciações, é primordial que as empresas, principalmente de grande porte possua os dois tipos. A utilização dos dois formatos fazem com que os processos tenham mais qualidade já que eles se complementam.

Auditoria Operacional

Quando os auditores analisam toda a estrutura da empresa, a auditoria operacional caracteriza o seu trabalho. Dessa forma, o trabalho perpassa pelas operações, recursos humanos e políticas adotadas pela empresa.

No setor público este formato é muito útil, já que consegue garantir o aprimoramento dos serviços prestados. Além disso, na otimização dos recursos, há ainda o acompanhamento das ações dos gestores públicos

Auditoria Contábil

A auditoria contábil é quando são feitos os exames nos registros e documentos contábeis. Além disso, o método atua também no momento de coletar informações que possam comprovas os dados que já foram registrados.

Auditoria Fiscal

Há uma autoridade pública responsável por analisar as obrigações da empresas diante das leis. Portanto, na auditoria fiscal, essa pessoa a realiza com pagamentos de impostos e legislação trabalhista, por exemplo.

No Brasil, auditores da Receita Federal e do Trabalho desempenham este papel em todos os Estados.

Saiba mais sobre: O que é planejamento?

Voltar ao topo

Deixe um comentário