Índice de Gini

O conceito se refere ao método que mede a desigualdade de um país ou região. Saiba quais são os países com os melhores e piores índices e em qual destas duas categorias o Brasil se encaixa.

Há uma medida que é utilizada para medir a desigualdade de renda. Ela recebe a denominação de Índice de Gini e indica qual o tamanho da diferença entre os mais pobres e ricos, seja em uma região ou país.

O objetivo desse medidor é apontar se há muita uma pouca diferença. Dessa forma, os valores de seus coeficientes são representados entre 0 e 1. Assim sendo, quanto mais próximo de zero menor é desigualdade social. Em contrapartida, 1 é o máximo em que a desigualdade pode chegar.

O italiano Corrado Gini desenvolveu e publicou o Índice de Gini, em 1912. O sistema se tornou um dos principais indicadores de desigualdade social no mundo.

Índice de Gini do Brasil e do Mundo

Fonte: Dicionário Financeiro

 

No Brasil e em diversos outros países, o Índice de Gini é medido por instituições competentes. A Organização das Nações Unidas (ONU) é uma delas. Seus dados são divulgados por meio do Relatório do Desenvolvimento Humano (RDH).

No relatório de 2016, o Brasil ficou entre os 10 países com a maior desigualdade do mundo. O país foi indicado com um índice de Gini de 0,515.

De acordo com o relatório, a África do Sul foi apontada como o  país mais desigual do mundo (0,634). A Ucrânia, por sua vez, ficou em primeiro lugar no quesito igualdade de renda (0,241).

Índice de Gini: como é calculado

Foi com base na curva de Lorenz que a Índice de Gini foi criado. Ela indica o quanto uma proporção acumulada de renda, a qual é representada na vertical, pode sofrer variações de acordo com a proporção acumulada da população. Esta é representada na horizontal.

Representação da Curva de Lorenz. Fonte: Dicionário Financeiro

Esta curva se baseia na distribuição totalmente igualitária de renda. No gráfico, ela é representada pela curva linear de cor preta. Enquanto isso, a curva de Lorenz representa a desigualdade da renda, a de cor azul.

Assim sendo, por meio da curva de Lorenz, o índice calcula diferença entre a área da distribuição perfeita de renda e aquela real. Logo, este cálculo é feito a partir da seguinte fórmula:

G = A/ (A+B) 

A – área de desigualdade observada 

(A + B) – área triangular de total igualdade de renda 

Assim sendo, quanto maior for a área observada em A, maior será o índice de Gini e, consequentemente, maior desigualdade.

Para que o índice de Gini seja calculado, é preciso levar em consideração um somatório da frequência da população pela renda de cada um. Ainda em relação ao gráfico, é possível observar pela linha da cor preta que a população teria igualdade de renda perfeita. Isso aconteceria pelo fato de 10% das pessoas terem 10% da renda, 20% da população 20% da renda e assim por diante.

Portanto, a maneira mais simples de calcular o coeficiente é fazendo uso de um somatório de toda área está abaixo da curva, subtraído de 1. Assim sendo, a fórmula do cálculo é a seguinte:

Se for feito o cálculo de todo o somatório em uma região de distribuição perfeita, o resultado alcançado será 1. Dessa forma, o coeficiente de Gini é igual a zero. O que indica igualdade de renda total.

Você pode ter interesse em: Índice Beta.

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Notícias relacionadas

Deixe um comentário