scorecardresearch ghost pixel



Concurso PF 2018: Confirmada distribuição das 500 vagas

Informação foi concedida pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais após reunião com diretor-geral da corporação



Confirmada a distribuição das 500 vagas do próximo concurso  da Polícia Federal (Concurso PF 2018)! A informação foi dada pelo presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Antônio Boudens.

O informe foi concedido após reunião de Boudens com diretor-geral da corporação, Rogério Galloro. O presidente comentou que mais detalhes sobre o certame não foram dados, mas, apenas a distribuição repassada para a Federação em fevereiro deste ano.

O encontro entre as duas partes aconteceu na manhã de ontem (17) para discutir, além da distribuição, a previsão de publicação do edital. Isso porque a Fenapef encaminhou ofício questionando a distribuição, já que a divisão, anteriormente, repassada tinha configurações diferentes.

Vagas Concurso PF

Em conclusão, a distribuição das oportunidades do certame ficou da seguinte forma:

  • Papiloscopista: 30 vagas
  • Perito: 60 vagas
  • Escrivão: 80 vagas
  • Delegado: 150 vagas
  • Agente: 180 vagas

Pode ser que o total de vagas seja dividido em dois editais, um publicado em cada semestre.

Todas as carreiras exigem formação de nível superior. Para escrivão, agente e papiloscopista, o diploma é aceito em qualquer área, incluindo, tecnólogos. Além da escolaridade, é exigida CNH em categoria “B”. A remuneração inicial para as três carreiras é de R$ 12.441,26, mas, pode chegar a R$ 12.980,50 no ano que vem.

A carreira de delegado exige graduação específica em Direito e, também, a mesma demanda quanto à habilitação. O cargo de perito é o outro que exige formação de nível superior específica na área de atuação.

A remuneração para as duas carreiras é de R$ 23.130,48 e, assim como as anteriores, pode ter aumento no próximo ano, chegando a R$ 24.150,74.

Edital Concurso PF

A Polícia Federal repassou outra informação importante na reunião com a Fenapef. Ao que tudo indica, o edital do próximo concurso deve ser liberado até junho. Alguns fatores, ainda, impedem a definição concreta de datas.

Entre tais fatores está a portaria autorizativa. De acordo com Luís Antônio Boudens, presidente da Fenapef, a corporação aguarda trâmites finais do Planejamento para que o documento seja liberado.

Conforme informado, oficialmente, pela Pasta, o documento deverá ser publicado ainda neste semestre no Diário Oficial da União (DOU).

Provas Concurso PF

Como o edital, ainda, não foi publicado, não há definição oficial quanto às etapas de avaliação do próximo certame.

No entanto, os candidatos devem ser avaliados conforme o concurso anterior. Ou seja, deverão ser ministradas:

  • Provas objetivas
  • Provas discursivas
  • Exame de aptidão física
  • Exame médico
  • Avaliação Psicológica

As primeiras fases (provas objetivas e discursivas) devem ser aplicadas neste ano. Caso a previsão de lançar o edital seja concretizada, as inscrições podem começar em seguida. Sendo assim, é possível que as provas aconteçam em agosto.

O que cai no Concurso PF?

Os exames objetivos para agente são compostos por 120 questões cobrando itens de Informática, Português, Raciocínio Lógico, Atualidades, Legislação Especial, Noções de Contabilidade, Administração, Economia e Direito – Constitucional, Penal, Processual Penal, Administrativo.

As provas para papiloscopista aplicam, basicamente, as mesmas disciplinas. No entanto, substituem Noções de Contabilidade e Economia por Noções de Identificação e Estatística, além de Química, Arquivologia, Biologia e Física.


Candidatos a escrivão podem ser avaliados por questões abordando Informática, Português, Raciocínio Lógico, Atualidades, Legislação Especial, Noções de Administração, Arquivologia e Direito – Constitucional, Penal, Processual Penal, Administrativo.

Já o cargo de perito passa por provas de Informática, Português, Raciocínio Lógico, Atualidades, Noções de Direito – Constitucional, Penal, Processual Penal, Administrativo, além de Legislação Especial. Também foram cobrados Conhecimentos Específicos em cada área de atuação.

Finalmente, candidatos a delegado são submetidos a provas de Direito – Constitucional, Penal, Processual Penal, Administrativo, Civil, Processual Civil, Previdenciário, Financeiro, Tributário, Empresarial, Internacional Público e, por fim, Legislação Especial.

Efetivo PF

A expectativa de publicar o edital neste semestre confirma a urgência de realizar o novo certame. Isso porque a corporação passa por sério déficit em seu quadro funcional e necessita de reposição o mais breve possível.

Uma das maiores preocupações é com as regiões de fronteira. Segundo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmman, o novo efetivo será de fundamental importância para combater o crime organizado.

Outra novidade que traz ânimo para os concurseiros é a possibilidade de concursos periódicos. Segundo o presidente da Fenapef, há esforços maciços sendo aplicados para que a PF lance concursos anuais, a fim de repor o quantitativo.

A ideia, de acordo com Boudens, é chegar ao número ideal de policiais efetivos. O quadro, atualmente, apresenta carência de 4 mil servidores, número apresentado pelo ministro da Segurança.

Além das carreiras de ensino superior, a PF pede, também, a criação de nova carreira de ensino médio. Trata-se dos policiais de nível médio que seriam responsáveis por atividades de menor complexidade, como patrulhamento e segurança de patrimônio.

O objetivo é reestruturar o órgão e desafogar os agentes de nível superior das atividades supracitadas. Vale lembrar que a PF tem, em sua estrutura, a carreira de agente administrativo. O cargo exige formação de nível médio e dá remuneração inicial de R$ 4.270,77.




Voltar ao topo

Deixe um comentário