Cartão de crédito da Caixa sem anuidade e com baixa taxa de juros já está disponível

Caixa lançou cartão de crédito consignado sem anuidade e com baixa taxa de juros. Confira os benefícios!

A Caixa Econômica Federal lançou, na última semana, um Cartão de Crédito Consignado com taxa de juros de 2,85% ao mês e sem anuidade. Será possível usar o produto tanto para compras, quando para crédito em conta.

A princípio, o cartão estará disponível aos beneficiários do INSS em Brasília. O limite de crédito será de até 1,4 vez o valor do benefício. A título de exemplo, se uma pessoa recebe R$ 1.000,00 do INSS, terá direito a um limite de R$ 1.400,00. A expectativa é que até junho o cartão esteja disponível em todo o país.

O produto poderá ser utilizado para compras no Brasil e no exterior. Além disso, vai disponibilizar até 95% do limite para crédito em conta.

A margem consignável adotada será de 5% do valor do benefício, que não concorre com o limite de 30% já disponibilizado no empréstimo consignado do banco.

Como contratar

Interessados em usar o cartão de crédito consignado da Caixa poderão contratá-lo mesmo que não recebam o benefício pela agência. No ato da contratação, serão informadas todas as condições de uso do produto. Ademais, o usuário será orientado a pagar o valor total da fatura.

O cartão será da bandeira Elo e, inclusive, contará com um benefício: o check-up lar. Por meio do serviço os clientes poderão solicitar reparos domiciliares tais como conserto de encanamento, troca de lâmpadas, chaveiro, entre outros.

De acordo com o vice-presidente de Produtos de Varejo da Caixa, Julio Cesar Volpp Sierra, “esse é um segmento estratégico e que não encontra essa solução de crédito no mercado de forma abrangente. Hoje, temos cerca de 21 milhões de aposentados e pensionistas que não têm esse produto. É esse público que queremos atingir”.

A previsão é que a partir do segundo semestre o cartão englobe mais convênios, entre entes públicos e privados.

Veja também: Microcrédito Produtivo Orientado da Caixa – Como conseguir?

Voltar ao topo

Deixe um comentário