Carreira militar atrai jovens: Veja quanto ganha um integrante das Forças Armadas

A estabilidade profissional e o alto valor pago para profissionais que optam em seguir a carreira militar, são fatores que tem chamado cada vez mais a atenção dos jovens.

Devido a instabilidade do mercado de trabalho e do mercado financeiro, a carreira militar vem chamando a atenção de jovens que desejam uma estabilidade financeira e profissional. Atualmente citada como tema de debate na Reforma da Previdência, a carreira militar oferece um soldo básico, gratificações e um regime de aposentadorias.

Desse modo, o salário básico dos militares, conhecido como soldo, para generais-de-Exército, almirantes-de-Esquadra e tenentes-brigadeiros é superior a R$ 13 mil, sem o somatório dos valores adicionais. Já com a soma das gratificações, esse valor pode ultrapassar os R$ 22 mil. Caso a reforma da Previdência dos Militares for aprovada, mais adicionais serão inclusos no soldo.

O cidadão que deseja se tornar militar de carreira não deve apenas realizar o serviço público obrigatório. Para isso, é preciso prestar concurso público, realizar cursos capacitantes e por diversos testes, além prestar serviço por diversos anos.

Assim, as carreiras militares se diferenciam de acordo com a instituição que o interessado escolher para realizar sua formação, seja a Aeronáutica, Exército ou Marinha. Explicaremos nessa matéria o que fazer para se tornar um militar de carreira. Confira!

Em caso de Ensino Médio

Para o interessado que já tenha ensino médio e queira ingressar na carreira militar, seja no Exército, na Marinha ou na Aeronáutica, alguns passos devem ser seguidos.

Aeronáutica

Os exames de admissão da Aeronáutica possuem testes de conhecimentos gerais, físicos, de saúde e exames psicológicos. Entretanto, alguns cursos solicitam que o candidato passe por um teste de aptidão.

Além disso, para entrar no Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Aeronáutica (CFOAV), responsável pela formação de pilotos, é necessário também realizar o Teste de Aptidão à Pilotagem Militar (TAPMIL). Já o Curso de Formação de Oficiais da Infantaria da Aeronáutica (CFOINF) é o único da instituição exclusivo para homens.

Para mais detalhes sobre os cursos oferecidos, basta acessar o site da Aeronáutica. A respeito dos requisitos exigidos para a participação nos cursos, são eles:

  • Prestar Exame de Admissão;
  • Idades variam de acordo com o curso.

Exército

Os interessados em ingressar no Exército devem realizar uma prova sobre conhecimentos gerais e passar por testes de saúde e físicos. As próximas etapas serão diferenciadas de acordo com a escola escolhida.

Desse modo, caso o interesse seja pela Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), situada em Campinas (SP), é necessário que o candidato tenha nascido entre 1998 e 2003, com vagas disponíveis para homens e mulheres. A formação leva à Academia Militar das Agulhas Negras (Amam), a mais almejada para seguir carreira dentro do exercito.

Já para a Escola de Sargento das Armas (EsSA), situada em Três Corações (MG), apenas candidatos homens nascidos entre 1996 e 2003 são aceitos. Assim, a formação leva o militar a assumir a linha de frente de combate.

Para saber detalhes sobre cada escola e sobre as datas de ingresso em cada uma delas, o candidato deve acessar o site do Exercito Brasileiro para conseguir as informações. Acerca dos requisitos exigidos para a participação das escolas, são eles:

  • Prestar Concurso;
  • Ser brasileiro nato ou naturalizado;
  • Altura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres;
  • A idade exigida varia de acordo com os cursos.

Marinha

Para ingressar na Marinha, é necessário que o candidato realize o concurso que possui prova de conhecimentos gerais, testes físicos, de saúde e psicológicos. As outras fases do processo variam de acordo com a escola pretendida.

A Marinha possui quatro opções de ingresso, porém, apenas duas aceitam mulheres. São elas:

Escola Naval (EN): Escola mais concorrida e voltada a formação de carreira da Marinha;
Curso de Sargento Músico Fuzileiro Naval: voltado à musica.

Dessa forma, as outras escolas da Marinha são exclusivas para homens e voltadas ao combate, como o curso de Soldado Fuzileiro Naval e a Escola de Aprendizes Marinheiros (EAM). Ambas permitem que o aluno já seja casado ou que possua família. Já no caso da Escola Naval, não é permitido que o candidato seja casado ou tenha família.

Cada curso possui um detalhamento específico relacionado as exigências. Porém, os pré-requisitos comuns a todos eles são:

  • Prestar concurso;
  • Ter, no mínimo, 18 anos;
  • Possuir idoneidade moral e bons antecedentes de conduta.

Os detalhes sobre as exigências e os editais para as provas ficam disponíveis no portal da Marinha. Em relação ao tempo de duração, cada escola possui seu tempo. No caso da EN, a duração do curso é de quatro anos.

Em caso de Ensino Superior

Caso o interessado em ingressar na carreira militar já possua conclusão no ensino superior, é possível realizar a iniciação nas instituições de acordo com as exigências de cada uma.

Aeronáutica

Os cursos oferecidos exigem que o candidato tenha mais que 35 anos, exceto pelo Estágio de Instrução e Adaptação de Capelães da Aeronáutica (EIA), destinado a teólogos que possuam entre 30 e 41 anos.

Assim, as oportunidades dentro da Aeronáutica para pessoas com diploma do ensino superior são para as áreas de engenharia, teologia, saúde e dois cursos em aberto, que variam de acordo com o edital. Ambos os gêneros são aceitos nesse caso.

As exigências variam de acordo com os editais, com acesso disponível no site da instituição. Porém, os pré-requisitos em comum para todos os cursos são:

  • Prestar Concurso;
  • Ser brasileiro nato.

Exército

A carreira militar ofertada pelo Exército é oferecida aos profissionais graduados nas áreas de engenharia, teologia e saúde. Além disso, o exército oferece também uma escola que aceita diversos outros cursos de formação.

A idade exigida para o ingresso varia de acordo com a escola ou curso escolhido. Para o Curso de Formação de Oficiais do Quadro de Engenheiros Militares, destinados a engenheiros civis, é necessário ter, no mínimo, 25 anos. Já para a Escola de Saúde do Exército (EsSEX), é preciso que o candidato tenha nascido a partir de 1984 (35 anos em 2019).

Todos os cursos e escolas estão disponíveis para homens e mulheres, exceto pela carreira de capelão católico que é exclusiva para homens. Desse modo, há previsão de cursos para junho e julho. As informações acerca de cada um estão disponíveis no site do Exército.

Os pré-requisitos comuns a todas as carreiras são:

  • Prestar Concurso;
  • Ser brasileiro nato;
  • Altura mínima de 1,60m para homens e 1,55m para mulheres.

Marinha

A Marinha é a corporação que mais oferta cursos para profissionais com nível superior. Entre os dez cursos ofertados, apenas um é exclusivo para homens, sendo o Quadro Complementar da Armada e de Fuzileiros Navais (QC-CA-FN).

Assim, os cursos são destinados a profissionais das áreas de engenharia, teologia e saúde. Já o quadro técnico engloba outras graduações, como música, arqueologia e letras. Cada curso possui suas especificidades e seu tempo de duração, que podem ser acessados no site da Marinha.

Entretanto, todos eles possuem requisitos em comum, que são:

  • Prestar Concurso;
  • Ser brasileiro nato;
  • Estar em dia com as obrigações eleitorais;
  • Estar em dia com as obrigações do serviço militar (para homens).

Ganhos de um Militar de Carreira

O salário dos militares é decidido de acordo com o Ministério da Defesa. A variação é de acordo com a patente e com a formação de cada um, sendo um valor para os praças (nível médio) e outro para os oficiais (nível superior). Porém, os demais valores são padronizados dentro das corporações.

Os alunos da Escola Naval e da Escola Preparatória de Cadetes, conhecidos como praças, possuem um soldo inicial de R$ 1.044 mensais. Já os alunos que fazem parte da Escola de Formação de Sargentos possuem a bolsa-auxílio no valor de R$ 1.066.

Assim que realizam a conclusão do curso, os alunos se tornam aspirantes-a-oficial, que possuem o soldo de R$ 6.993. Após um ano do cargo, eles sobem para segundo-tenente, com o salário de R$ 7.490,00. Já os oficiais recebem um auxílio de R$ 6.993 durante o curso e, ao formarem, saem como primeiro-tenente com a remuneração de R$ 8.245.

Os maiores cargos dentro das Forças Armadas são os de general-de-Exército, tenente-brigadeiro (Aeronáutica) e almirante-de-esquadra (Marinha). Cada um deles recebe um soldo de R$ 13.471,00 mensais. Vale lembrar que esse soldo é relacionado ao valor básico, visto que todos ganham um valor extra devido aos adicionais.

Dessa forma, os tenentes-brigadeiros, generais-do-Exército e os almirantes-de-esquadra recebem cerca de R$ 22.631,28, valor referente a 68% a mais que o soldo básico. Dentro desse valor estão os adicionais:

  • Habilitação: Para quem conclui os cursos de capacitação;
  • Disponibilidade Militar: Referente ao trabalho sem jornada definida;
  • Gratificação de Representação: Oferecido aos oficiais que lideram unidades militares.

No caso de um oficial subalterno (tanto na Aeronáutica, quanto no Exército e na Marinha), que possui parente de primeiro-tenente, o soldo básico é no valor de R$ 8.245,00. Entretanto, o valor recebido sobre para R$ 11 mil mensais devido as gratificações.

Caso a reestruturação da carreira militar, proposta pelo presidente Jair Bolsonaro, seja aprovada, os valores recebidos pelos militares serão ainda maiores. A reestruturação não altera o soldo recebido, porém aumenta as gratificações e cria outras extras. Dessa forma, o valor pago aos generais pode ultrapassar os R$ 30 mil mensais.

Soldos básicos (sem inclusão de adicionais)

Tabela Soldo Militares 2019

Escolas de Formação de Militares no Brasil

Aeronáutica

Barbacena (MG):

  • Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAr)

Guaratinguetá (SP):

  • Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAr)

Lagoa Santa (MG):

  • Centro de Instrução e Adaptação da Aeronáutica (CIAAR)

Exército

Campinas (SP):

  • Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx)

Três Corações (MG):

  • Escola de Sargentos das Armas (ESA)

Rio de Janeiro (RJ):

  • Escola de Sargentos de Logística (EsLog);
  • Escola de Saúde do Exército (EsSEx);
  • Instituto Militar de Engenharia (IME).

Salvador (BA):

  • Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx)

Marinha

Rio de Janeiro (RJ):

  • Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC);
  • Centro de Instrução Milcíades Portela Alves (CIAMPA);
  • Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW);
  • Escola Naval (EN).

Vila Velha (ES):

  • Escola de Aprendizes Marinheiros (EAM)

Olinda (PE):

  • Escola de Aprendizes Marinheiros (EAM)

Fortaleza (CE):

  • Escola de Aprendizes Marinheiros (EAM)

Brasília (DF):

  • Centro de Instrução e Adestramento (CIAM)

Florianópolis (SC):

  • Escola de Aprendizes Marinheiros (EAM)

Como Subir de Patente

Há duas formas para um oficial subir de patente de acordo com representantes das Forças Armadas. Entretanto, devido a quantidade de militares e aos cargos de alto escalão, não é possível que todos atinjam a patente mais alta.

O primeiro modo é o mais conhecido e aplicado, sendo o por tempo ou antiguidade, como chamado pelos militares. Nesse modo, é necessário que o oficial cumpra as exigências necessárias da carreira, subindo de patente até certo ponto.

Um exemplo de elevação de patente por antiguidade são os praças formados pela AMAM, que saem como aspirante-a-oficial. Após um ano se tornam segundo-tenente e, após outro ano consecutivo, passa a patente de primeiro-tenente.

A elevação por antiguidade é o modo normal. Entretanto, essa ordem pode ser alterada pela segunda forma de elevação: o merecimento. De acordo com os porta-vozes das corporações, esse modo é mais importante que o modo de tempo.

Dessa forma, os militares que se dedicarem mais aos estudos em suas áreas de atuação e que demonstrarem maior desempenho nas tarefas exercidas, possuem alto potencial para conseguir a elevação de patente.

Entretanto, há uma diferença entre os praças e os oficiais. Apenas os oficiais que ingressam com curso superior possuem a possibilidade de chegar as patentes mais altas das Forças Armadas. Já os profissionais que entram com nível médio ou técnico, só podem atingir as patentes de major-brigadeiro (Aeronáutica), general-de-Divisão (Exército) e vice-almirante (Marinha).

Voltar ao topo

Deixe um comentário