Caixa oferece novo programa imobiliário com taxa fixa e juros de 8%

Condições são válidas para imóveis residenciais novos e usados, com quota de financiamento de até 80%. Cliente poderá utilizar FGTS para pagamento.

A Caixa Econômica Federal (CEF) lançou nova linha de crédito imobiliário com taxas fixas. O anúncio da novidade foi feito durante cerimônia realizada no Palácio do Planalto, na manhã do dia 20 de fevereiro, quinta-feira. O crédito entrará em vigor a partir desta sexta, dia 21.

A alternativa é voltada para estará disponível com taxas de juros a partir de 8% ao ano. As condições são válidas para imóveis residenciais novos e usados, com quota de financiamento de até 80%.

Interessados na modalidade poderão escolher entre os sistemas de amortização SAC ou Tabela Price, para financiamentos de até 240 meses. O primeiro é uma forma de amortização de um empréstimo que inclui os juros, em partes iguais. O último, por sua vez, é usado com amortização em parcelas iguais.

“Não estamos mais limitados somente às linhas de crédito imobiliário atualizadas pela Taxa Referencial. Em 2019, inovamos com a linha de crédito atualizada pelo IPCA. Agora, com o lançamento do crédito com taxa fixa, estamos revolucionando o mercado imobiliário no país. É uma nova alternativa para o cliente que busca financiar seu imóvel sabendo quanto vai pagar da primeira à última prestação”, ressaltou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães

Amortização SAC x Tabela Price

Sistema de Amortização Constante (SAC) é uma tabela utilizada em financiamentos imobiliários. Com ele, as parcelas são decrescentes, diferente do que ocorre com os financiamentos baseados na Tabela Price.

Na tabela SAC, o comprador arca inicialmente com parcelas mais altas em relação à tabela Price. Isso acontece porque esses valores são compostos pelo valor da amortização do saldo devedor. Portanto, a maior parte do que é pago na parcela é utilizado para diminuir o saldo devedor e o restante para amortizar os juros.

Desta forma, como o cálculo dos juros é feito sobre o que o cliente deve ao banco, quanto menor o saldo devedor, menor será a taxa de juros. Isso faz com que, ao final do financiamento, o comprador pague mais barato do que pagaria utilizando a Tabela Price.

No caso da Tabela Price, quando utilizada, o financiamento torna-se composto por parcelas iguais, do início ao fim. O valor, então, é pago a cada parcela e usado para saldar juros, diminuindo o saldo devedor.

Uso do FGTS para compra de imóvel

O novo modelo imobiliário da Caixa também permitirá o uso dos valores disponíveis no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) do trabalhador para pagamento de prestações ou completar a entrada.

No caso de financiamento residenciais por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), avaliadas em até R$ 15 milhão, é possível a utilização do FGTS desde que o cliente se enquadre nas regras do Fundo, como:

  • Ter três anos de trabalho sob o regime do FGTS;
  • Não possuir financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH);
  • Não ser proprietário de imóvel.

Além dessas exigências, o imóvel também deve obedecer algumas regras, como:

  • Valor da avaliação deve ser de até R$ 1.500.000,00 para todos os estados brasileiros;
  • Ser residencial urbano;
  • Destinar-se à moradia do titular;
  • Apresentar condições de habitabilidade;
  • Não ter sido objeto de utilização do FGTS em aquisição anterior.

Confira também: Descubra como contratar crédito da Caixa sem consulta ao SPC e Serasa!

Voltar ao topo

Deixe um comentário