Pagamentos das parcelas do auxílio, FGTS e PIS/Pasep são liberados em agosto

Os pagamentos dos benefícios sociais de auxílio a crise da pandemia foram liberados. Confira o calendário de depósitos e valores das parcelas.

Diante da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o Governo Federal desenvolveu e adiou formas de auxílio financeiro para amparar as famílias mais impactadas pela instabilidade e crise econômica. Exemplo disso são o auxílio de R$ 600 e o saque emergencial do FGTS de R$ 1.045. Com isso, a população é beneficiada conta com assistência financeira para sobrevivência em meio a pandemia.

Além do auxílio e saque emergencial, o abono salarial do PIS/PASEP também acabou se tornando um respiro econômico para as pessoas mais atingidas pela situação do país e do mundo.

O governo lançou os benefícios sociais seguindo um calendário de depósitos e saques. No caso do auxílio emergencial, as datas tiveram início em abril e, após prorrogações e aumento no número de parcelas, segue sendo liberado para as famílias.  Já o saque emergencial do FGTS foi uma medida complementar e tentativa de amenizar os impactos sociais e econômicos para os trabalhadores.

Auxílio emergencial

O auxílio emergencial já está no pagamento da quinta parcela de R$ 600 para os beneficiário do Bolsa Família. O valor começou a ser depositado no dia 18 de agosto para essas famílias, seguindo o cronograma de acordo com o último dígito do Número de Identificação Social (NIS).

Os outros beneficiários, que não se enquadram no Bolsa Família, irão receber a, até então, última parcela do auxílio a partir do dia 28 de agosto.

Os valores são depositados na conta poupança social digital da Caixa e movimentada pelo aplicativo Caixa Tem. Os beneficiários que fizeram cadastro pelo site ou aplicativo precisam esperar um segundo cronograma para fazer os saque do auxílio, enquanto os indivíduos do bolsa família não necessitam de esperar outras datas.

O Governo Federal estuda a prorrogação do auxílio para até o final da pandemia ou até uma nova data determinada. Entretanto, caso seja prolongada as parcelas terão valores menores que R$ 600.

Saque emergencial do FGTS

O saque emergencial foi criado para que os contribuintes do FGTS pudessem retirar uma parcela do FGTS de forma antecipada, visando amenizar a crise. As pessoas que têm direito ao saque são os trabalhadores que possuem contas ativas ou inativas no FGTS.

O pagamento é realizado pela Caixa Econômica Federal, depositado em poupanças digitais abertas pelo próprio banco. O valor começou a ser depositado entre o dia 29 de junho e continuará até 21 de setembro, seguindo um calendário com a data de nascimento dos indivíduos. Além disso, haverá dois momentos de liberação, o primeiro de deposito e o segundo o de saque.

Após o depósito, a quantia estará disponível apenas para compras online e pagar boletos. No período de saques, entre 25 de julho e 14 de novembro, os indivíduos poderão retirar o dinheiro.

Confira o calendário seguindo o mês de nascimento dos beneficiários:

Calendário de depósitos

  • Janeiro: 29/jun
  • Fevereiro: 6/jul
  • Março: 13/jul
  • Abril: 20/jul
  • Maio: 27/jul
  • Junho: 3/ago
  • Julho: 10/ago
  • Agosto: 24/ago
  • Setembro: 31/ago
  • Outubro: 8/set
  • Novembro: 14/set
  • Dezembro: 21/set

Calendário de saques

  • Janeiro: 25/jul
  • Fevereiro: 8/ago
  • Março: 22/ago
  • Abril: 5/set
  • Maio: 19/set
  • Junho: 3/out
  • Julho: 17/out
  • Agosto: 17/out
  • Setembro: 31/out
  • Outubro: 31/out
  • Novembro: 14/nov
  • Dezembro: 14/nov

Abono salarial

O abono salarial PIS/PASEP já estava programado e será disponibilizado apenas para trabalhadores que recebiam salários de, em média, até dois salários mínimos mensais e com carteira assinada em 2019.

Além disso, os valores variam conforme o tempo de trabalho, o valor máximo é de um salário mínimo de R$ 1.045 . Caso a pessoa tenha trabalhado durante um ano inteiro, ela receberá o valor máximo. Se trabalhou apenas um mês, receberá R$ 87,08, o valor do salário mínimo dividido por 12.

O calendário teve início em 30 de junho de 2020 e irá até 30 de junho de 2021. Os pagamentos seguem o cronograma feito a partir do mês de nascimento dos empregados da iniciativa privada (PIS) e o número de inscrição do Pasep para funcionários públicos.

Confira a seguir o calendário para receber os pagamentos seguindo o mês de nascimento para funcionários de empresa privada e o número final do número do Pasep para funcionários públicos:

Funcionário de empresa privada

  • Julho: 16/7/2020
  • Agosto: 18/8/2020
  • Setembro: 15/9/2020
  • Outubro: 14/10/2020
  • Novembro: 17/11/2020
  • Dezembro: 15/12/2020
  • Janeiro: 19/1/2021
  • Fevereiro: 19/1/2021
  • Março: 11/2/2021
  • Abril: 11/2/2021
  • Maio: 17/3/2021
  • Junho: 17/3/2021

Funcionário público 

  • 0: 16/7/2020
  • 1: 18/8/2020
  • 2: 15/9/2020
  • 3: 14/10/2020
  • 4: 17/11/2020
  • 5 :19/1/2021
  • 6 e 7: 11/2/2021
  • 8 e 9: 17/3/2021

Leia também: INSS: Veja como evitar erros e garantir o auxílio-doença na pandemia

Voltar ao topo

Deixe um comentário