Pagamentos liberados! Receba até R$ 2.090 no PIS e até R$ 1.045 do FGTS

Pagamentos do FGTS emergencial e abono PIS/Pasep já começaram. Trabalhadores poderão receber até R$ 2.090, somando os dois benefícios.

No mês de agosto, dois benefícios foram liberados pelo governo federal. Os saques são referentes ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do abono PIS/Pasep. As pessoas beneficiadas podem receber até R$ 2.090,00 no PIS e até R$ 1.045,00 no FGTS.

Por conta da pandemia, foi liberado o saque-emergencial do FGTS de até R$ 1.045,00 para contas ativas e inativas do benefício. As quantias começaram a ser pagas no dia 29 de junho.

O outro pagamento, referente ao abono PIS/Pasep, é direcionado às pessoas que trabalharam em 2019. Quem trabalhou em 2018 também pode sacar R$ 1.045,00 e, com isso, os valores podem chegar a R$ 2.090,00.

FGTS emergencial

O calendário de pagamentos do FGTS emergencial já foi liberado pela Caixa Econômica Federal. Os depósitos iniciaram no dia 29 de junho e prosseguirão até 21 de setembro. Confira:

Calendário saque FGTS
Calendário saque FGTS – Fonte: Caixa Econômica Federal

Para ter direito ao FGTS emergencial, é necessário que a pessoa possua contas ativas ou inativas no FGTS.

Abono PIS/Pasep

O governo federal já iniciou os pagamentos do abono PIS/Pasep aos que trabalharam com carteira assinada em 2019. As retiradas poderão ser efetuadas até o dia 30 de junho de 2021.

Será possível receber até um salário mínimo (R$ 1.045,00) e essa quantia varia de acordo com o tempo trabalhado. Por exemplo, caso uma pessoa tenha exercido a profissão durante 30 dias e depois saiu da empresa, ela receberá R$ 87,08 do valor.

O saque do abono PIS/Pasep referente aos anos de 2019/2020 começou a ser feito a partir do dia 16 de julho. Dessa forma, será dada continuidade no calendário de 2020/2021. Nas duas situações, o abono poderá ser retirado até 30 de junho de 2021.

Vale destacar que, para ter direito ao abono, é necessário atender aos seguintes critérios:

  • Ter exercido a profissão com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2018 e 2019.
  • Ganhado no máximo dois salários mínimos.
  • Estar inscrito no PIS/Pasep.
  • Dados informados corretamente no sistema do governo. Isso deve ser feito pela empresa onde a pessoa trabalha.

Leia também: Tabela atualizada do PIS/Pasep paga de R$ 88 a R$ 1.045 em abono salarial

Voltar ao topo

Deixe um comentário