scorecardresearch ghost pixel

Auxílio cortado? Prazo para quem é do Bolsa Família contestar já começou

Basta acessar o site da Dataprev e informar CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. Site vai mostrar o motivo da negativa.

Os inscritos no programa Bolsa Família que recebiam o pagamento de R$ 600 do auxílio emergencial, mas foram cortados da extensão de R$ 300, já podem contestar a negativa do governo. A possibilidade foi aberta no último sábado, 21, e segue até dia 30 de novembro.

Para fazer o pedido de contestação, não é preciso se dirigir a nenhuma agência da Caixa Econômica Federal, lotérica ou posto de atendimento do Cadastro Único. De acordo com o Ministério da Cidadania, a solicitação deve ser feita por meio do site da Dataprev, empresa pública brasileira, responsável pela gestão da base de dados sociais brasileira.

Basta acessar o site da Dataprev e informar CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. O site vai mostrar o motivo da negativa, além da opção para fazer a contestação.

Como contestar o auxílio emergencial?

  • Entre no site da Dataprev;
  • Na página do auxílio, acesse o campo “acompanhe sua solicitação”;
  • Confirme seus dados e após isso o site vai indicar qual o motivo do benefício negado;
  • Confira a informação e peça o pedido de contestação;
  • Pronto! Agora é só aguardar que seu pedido seja revisto pela Dataprev.

Prazo para outros beneficiários

As pessoas que não estão no programa Bolsa Família e que receberam uma ou mais parcelas da extensão do auxílio emergencial e tiveram o benefício cancelado puderam contestar até este domingo, 22.  informou o Ministério da Cidadania.

Já queles que receberam as cinco primeiras parcelas do auxílio (R$ 600) e foram considerados inelegíveis para receber os valores residuais, têm até o dia 29 de novembro, próximo domingo, para fazer a contestação.O prazo para esse público já havia sido encerrado, mas foi estendido.

Veja também: Mais três meses de auxílio emergencial? Parlamentares solicitam nova prorrogação até 2021


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário