scorecardresearch ghost pixel

Não saquei o auxílio emergencial, dinheiro volta para o governo?

De acordo com a Caixa, não há possibilidade de saque por meio do banco depois do valor retornar aos cofres da União.

Os beneficiários que receberam o auxílio emergencial, mas não sacaram dentro do prazo, podem perder o benefício que volta aos cofres da União. Esse prazo é de até 90 dias (três meses) após depósito na conta poupança social digital para os não inscritos no Bolsa Família, e de até 270 dias (nove meses) para os inscritos no programa assistencial.

De acordo com a Caixa Econômica Federal, não há possibilidade de saque por meio do banco depois do valor retornar ao caixa da União.

Porém, a devolução de uma parcela não interfere no pagamento das que estão por vir, ou seja, caso o beneficiário perca o prazo de uma parcela, continuará recebendo as demais parcelas normalmente.

O Ministério da Cidadania, responsável pela administração dos programas sociais do governo federal, esclareceu que o dinheiro das parcelas devolvidas retorna à conta única do Tesouro Nacional, que não tem vínculo com o orçamento da pasta.

Prazo para sacar o auxílio emergencial

  • Não inscritos no Bolsa Família: 90 dias (três meses) após depósito na poupança digital;
  • Inscritos no Bolsa Família: 270 dias (nove meses) após liberação do saque.

Quantas parcelas do auxílio vou receber?

O número de parcelas que cada beneficiário terá direito, depende de quando ele começou a receber o auxílio.  No total são nove parcelas, sendo as cinco primeiras de R$ 600 e as quatro últimas no valor de R$ 300. Veja abaixo:

  • Todas as 9 parcelas: quem recebeu a 1ª parcela em abril;
  • 8 parcelas: quem recebeu a 1ª parcela em maio;
  • 7 parcelas: quem recebeu a 1ª parcela em junho;
  • 6 parcelas: quem recebeu a 1ª parcela em julho;
  • 4 parcelas de R$ 300 nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro: quem recebeu a última parcela de R$ 600 em agosto;
  •  3 parcelas de R$ 300 nos meses de outubro, novembro e dezembro: quem recebeu a última parcela de R$ 600 em setembro;
  • 2 parcelas de R$ 300 nos meses de novembro e dezembro: quem recebeu a última parcela de R$ 600 em outubro;
  • Apenas 1 parcela de R$ 300 em dezembro: quem recebeu a última parcela de R$ 600 em novembro.

Veja também: Quem não votou pode perder o auxílio emergencial? Veja o que diz o governo


Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário