scorecardresearch ghost pixel



Caixa confirma dois saques do PIS/Pasep em 2022; Quem tem direito?

Milhões de trabalhadores terão a possibilidade de realizar dois regates diferentes do PIS/Pasep neste ano.



Milhões de reais serão liberados para trabalhadores brasileiros neste ano de 2022. São duas possibilidades de saque do PIS/Pasep, sendo elas o abono salarial e as cotas do fundo. Entenda como funcionam essas modalidades e quem pode resgatar o dinheiro.

Leia mais: Aviso prévio: você sabia que há várias formas de cumprir a rescisão?

Abono salarial PIS/Pasep

O benefício é um direito dos trabalhadores formais que atuaram por pelo menos 30 dias no ano-base. Em 2022, o pagamento será referente ao ano-base 2020, já que a liberação foi adiada no ano passado para poupar verbas em meio à pandemia. Já o abono de 2021 foi adiado para 2023.



Confira os critérios para receber o abono salarial PIS/Pasep neste ano:

  • Ter trabalhado pelo menos 30 dias (consecutivos ou não) em 2020;
  • Ter recebido remuneração de até dois salários mínimos por mês em 2020;
  • Ter carteira de trabalho há pelo menos cinco anos;
  • Ter seus dados informados corretamente na RAIS (Relação Anual de Informações Sociais).

O valor do benefício é de até um salário mínimo (R$ 1.212), na proporção de 1/12 do piso nacional por cada mês trabalhado no ano-base. A Caixa realiza os pagamentos pra os funcionários da iniciativa privada, enquanto o Banco do Basil é responsável pelos repasses aos servidores públicos.

Cotas do Fundo PIS/Pasep

O segundo saque disponível neste ano é destinado a cidadãos que trabalharam com carteira assinada entre os anos de 1970 e 1988 e estavam cadastrados no Fundo PIS/Pasep. Em caso de falecimento, o dinheiro pode ser resgatado por seus herdeiros legalmente reconhecidos.

As cotas serão depositadas por meio de crédito em conta quando o trabalhador possuir conta individual na Caixa. O saque está disponível nos caixas eletrônicos da Caixa, nas agências do banco, nos Correspondente Caixa Aqui e nas loterias, utilizando o Cartão do Cidadão.




Voltar ao topo

Deixe um comentário