scorecardresearch ghost pixel



Volta do auxílio emergencial de R$ 600 para 2022 entra em discussão

Parlamentares preveem colocar o tema em pauta com a justificativa de que muitas pessoas ainda não conseguiram se recuperar financeiramente na pandemia.



Um possível retorno do auxílio emergencial de R$ 600 para 2022 está em estudo no âmbito político. Até o momento, o governo federal segue com a declaração de que não possui o intuito de retomar os pagamentos do programa social, que, em seu maior pico, chegou a atender 39 milhões de pessoas em 2020.

Leia mais: Dataprev abre consulta para auxílio emergencial 2022; Veja como funciona

Apesar da decisão, informações de bastidores trazem um outro cenário quando o assunto é o auxílio emergencial. Isso porque rumores apontam que vários deputados desejam retornar com os debates sobre a volta do programa. A ideia de alguns parlamentares é colocar o tema em pauta já nos próximos dias.

“Esse auxílio é muito importante para milhões de brasileiros que ficaram completamente desassistidos na pandemia que ainda persiste. Muitos nem foram incluídos no Auxílio Brasil. Isso tem causado enorme sofrimento a essa imensa parcela da população”, declarou o Deputado Federal Renildo Calheiros (PSB-PE).



Milhões de brasileiros sem renda com fim do programa

A justificativa para o retorno do auxílio emergencial em 2022 deve ser pautada nas dificuldades de quem ainda não conseguiu reaver as rédeas da vida financeira em meio à pandemia.

Para se ter uma ideia, de acordo com informações oficiais, cerca de 25 milhões de pessoas ficaram sem nenhum tipo de fonte de renda com o fim do benefício em outubro de 2021. O que acontece é que a grande maioria desses cidadãos também ficaram de fora da base de beneficiários do Auxílio Brasil, que conseguiu incluir apenas 3 milhões de novas famílias em janeiro.

Com as previsões indicando novos rumos ao tema, resta aguardar o posicionamento do governo frente às investidas do Congresso Nacional, sobretudo após o Executivo declarar não haver mais espaço orçamentário para novas parcelas do auxílio.




Voltar ao topo

Deixe um comentário