scorecardresearch ghost pixel



PL quer retorno do carro popular a diesel no Brasil

Atualmente os brasileiros têm acesso a alguns tipos de combustíveis nos postos de abastecimento, mas existe uma restrição para o uso de diesel nos motores. Um grupo de legisladores pretende mudar isso.



O preço da gasolina tem desagradado grande parte da população que depende do carro para se locomover e a alta do petróleo deixa os brasileiros cada vez mais pessimistas. Foi pensando nessa situação que o deputado federal Heitor Freire (União) relatou na PL 567/2022 a ideia de acabar com a proibição de motores a diesel no país, considerada em 1976 a partir da Portaria MIC 346, como forma de barrar problemas ambientais. 

Veja também: Gasolina no Brasil é 52 vezes mais cara que na Venezuela

Com algumas exceções, como barcos, não houve nenhuma abertura desde então para o uso desse tipo de combustível, uma das opções mais baratas e que veio à tona devido a alta da gasolina comum. 

Tentando promover linhas populares e baratas, a lei tenta derrubar o que foi decidido há 46 anos, tendo a vista a facilidade de ter uma alternativa de transporte confortável gastando menos. O contexto de crise impulsionou essa iniciativa com urgência e ainda divide opiniões. 



Qual é o objetivo da PL dos carros a diesel? 

Segundo o deputado Heitor Freire o Brasil é o único país do mundo a proibir o diesel na indústria automobilística, representando um atraso grande para o Brasil. Na opinião do político, essa é uma ação que tira dos cidadãos a oportunidade de conquistar o próprio automóvel. 

Ao protocolar o pedido junto ao poder público, seu objetivo é realmente disponibilizar energia eficiente e de baixo custo, beneficiando o consumidor final. 

O texto segue pautado na Câmara dos Deputados, visto que foi anexado recentemente e será discutido com os representantes de diversas bancadas. O risco de não ser aprovada ainda permanece, mas o protocolo visa acompanhar os parâmetros internacionais, levando em conta os países que permitem esse recurso. 

Caso seja aceita e a restrição seja anulada, siglas que representam a substância voltarão a ocupar o vocabulário nas notícias: dCI, TDI e CDTI. 




Voltar ao topo

Deixe um comentário