scorecardresearch ghost pixel



Consegui o crédito Caixa para negativados: Posso gastar o dinheiro como eu quiser?

Conheça a nova modalidade de crédito da estatal e saiba se o dinheiro deve ser utilizado em situações específicas ou de forma livre.



No dia 28 de março, a Caixa Econômica Federal deu início às contratações do seu mais novo microcrédito, cujos valores oferecidos chegam a R$ 1 mil, no caso de pessoa física, e até R$ 3 mil, em se tratando de pessoa jurídica, como quem é Microempreendedor Individual (MEI).

Leia mais: Crédito para negativados: Caixa libera empréstimos de até R$ 3 mil para milhões de pessoas

Outra novidade é que esta é a primeira vez que a Caixa decide oferecer crédito para pessoas que estão com o nome sujo, ou seja, negativadas. Dadas as circunstâncias e facilidades na contratação do serviço, muita gente tem dúvida se os recursos do empréstimo podem ser usados livremente para qualquer fim ou somente em situações específicas.



Novo crédito Caixa Tem

O novo serviço financeiro via Caixa Tem, nomeado Programa de Simplificação do Microcrédito Digital para Empreendedores (SIM Digital), integra o pacote Renda e Oportunidade do governo federal, desenvolvido para estimular a economia. Dito isso, o crédito é oferecido para o seguinte público:

  • No caso de pessoas físicas, mesma aquelas com o nome sujo, a liberação é de um empréstimo entre R$ 300 a R$ 1 mil, cuja taxa de juros é a partir de 1,95% ao mês e o prazo para pagar de até 24 vezes. Contratação via Caixa Tem.
  • No caso de quem é Microempreendedor Individual (MEI), a liberação é de um crédito entre R$ 1 mil a R$ 3 mil, cuja taxa de juros é a partir de 1,99% ao mês e o parcelamento em até 24 vezes. Contratação presencial em agências da Caixa.


Mas, afinal, posso utilizar o microcrédito de qualquer forma?

Segundo a Portaria nº 660 do Ministério do Trabalho, as condições da contratação do microcrédito pelo SIM Digital mostram que:

  • Pessoas físicas podem solicitar o serviço contanto que elas utilizem o dinheiro para criar um negócio próprio ou gerar meios para expandir alguma atividade remunerada que já realiza. Ou seja, as medidas funcionam como um  estímulo ao empreendedorismo popular, na formalização dos pequenos negócios; e
  • No caso dos MEI, o empréstimo deve ser aplicado em investimentos na empresa, que podem ser em equipamentos, aquisição de insumos, capital de giro, utensílios dentre outros.




Voltar ao topo

Deixe um comentário