scorecardresearch ghost pixel



Casa própria: financiar imóvel a partir de R$ 300 mil fica mais caro e exige renda maior

Levantamento feito pela Melhortaxa mostra que renda exigida para financiamento da casa própria subiu 25% um um ano.



Financiar a casa própria ficou mais caro em todos os sentidos para imóveis a partir de R$ 300 mil. Uma pesquisa da Melhortaxa encomendada pelo UOL mostra que, em apenas um ano, os preços e a renda exigida subiram significativamente.

Leia mais: Aluguel Social libera R$ 1.000 às famílias que não têm onde morar; Saiba como solicitar

Um dos grandes motivos é a alta da taxa básica de juros. Em março de 2021, a Selic estava em 2% ao ano, mas hoje está no patamar de 12,75% ao ano. O aumento adotado para tentar controlar a inflação encarece os custos de financiamentos imobiliários.

Veja um exemplo prático: quem financiou R$ 240 mil de um imóvel com preço total de R$ 300 mil em março do ano passado, para pagar em 30 anos (360 meses), ao final desse tempo vai desembolsar R$ 490 mil. Um financiamento nessas mesmas condições feito hoje custa R$ 580 mil.



Para ter acesso a essa propriedade, o comprador precisaria de uma renda mensal de R$ 6.532,22 em 2021. Agora, a renda mínima mensal exigida chega a R$ 8.184,59, cerca de 25% a mais.

No caso de imóveis de R$ 1 milhão, com R$ 800 mil financiados, a diferença chega a R$ 300 mil ema comparação com há pouco mais de um ano. Já a renda necessária para comprar uma casa como essa também cresceu 25%, passando de R$ 21.579,63 para R$ 27.087,51.

Em muitas situações, o aumento faz com que muitos desistam do negócio.”Acabamos sentindo uma inversão. As pessoas que precisam do empréstimo não conseguem, e quem busca o crédito só porque tem uma aplicação que rende mais no banco é aprovado. Desde o final de dezembro percebemos uma diminuição nas negociações de financiamento”, diz Paulo Chebat, CEO da Melhortaxa no Brasil.



Simulações

As simulações feitas pela Melhortaxa incluem imóveis de R$ 300 mil, R$ 500 mil, R$ 750 mil e R$ 1 milhão. Os cálculos consideram entrada de 20% do valor do imóvel, com taxas de juros na média cobrada no mercado. Veja:

  • Selic a 2% ao ano
Valor do Imóvel R$ 300 mil R$ 500 mil R$ 750 mil R$ 1 milhão
Valor financiado R$ 240 mil R$ 400 mil R$ 600 mil R$ 800 mil
Prazo (em meses) 360 360 360 360
Juros efetivos no ano 6,25% 6,25% 6,25% 6,25%
CET (Custo efetivo total no ano) 7,00% 6,90% 6,85% 6,83%
Primeira parcela R$ 1.959,67 R$ 3.249,45 R$ 4.861,67 R$ 6.473,89
Última parcela R$ 719,48 R$ 1.182,47 R$ 1.761,21 R$ 2.339,95
Soma das parcelas R$ 490.652,85 R$ 811.754,75 R$ 1.213.132,13 R$ 1.614.509,50
Renda exigida R$ 6.532,22 R$ 10.831,48 R$ 16.205,56 R$ 21.579,63
  • Selic a 12,75% ao ano
Valor do imóvel R$ 300 mil R$ 500 mil R$ 750 mil R$ 1 milhão
Valor financiado R$ 240 mil R$ 400 mil R$ 600 mil R$ 800 mil
Prazo em meses 360 360 360 360
Juros efetivos no ano 8,90% 8,90% 8,90% 8,90%
CET (Custo efetivo total no ano) 9,62% 9,52% 9,47% 9,45%
Primeira parcela R$ 2.455,38 R$ 4.075,63 R$ 6.100,94 R$ 8.126,25
Última parcela R$ 720,86 R$ 1.184,77 R$ 1.764,65 R$ 2.344,54
Soma das parcelas R$ 580.128,25 R$ 960.880,41 R$ 1.436.820,61 R$ 1.912.760,82
Renda exigida R$ 8.184,59 R$ 13.585,42 R$ 20.336,46 R$ 27.087,51




Voltar ao topo

Deixe um comentário