scorecardresearch ghost pixel



Como funciona o parcelamento por Pix? Entenda agora

Muitos consumidores se perguntam se é possível fazer o parcelamento por Pix. Entenda como funciona e se é possível fazer isso atualmente; saiba que existem sim algumas opções.



O Pix certamente é uma das invenções financeiras mais interessantes dos últimos anos. O melhor de tudo é que o consumidor ainda tem a possibilidade de fazer parcelamento por Pix.

Veja também: O que pode entrar como dedução de imposto em 2022?

De acordo com o Banco Central, essa opção dentro da ferramenta se chama Pix Garantido. No entanto, a modalidade ainda não foi lançada, mas algumas instituições já oferecem crédito para parcelar o pagamento. As informações também foram divulgadas pelo site Pronatec.



Parcelamento por Pix: como funciona?

O Banco Santander é um dos únicos que oferecem a opção atualmente, porém o nome não é o mesmo informado pelo BC. Na prática se torna um crédito comum.

Assim, o banco paga a transferência por Pix e o cliente pode parcelar o valor em até 24 meses, com débito mensal automático. Os juros para este caso ficam na casa dos 2,09%.

Formas de se fazer o parcelamento por Pix

Nas plataformas PicPay e Digio, o usuário pode converter saldo do cartão de crédito em Pix. Os valores são cobrados mediante as taxas do cartão de crédito.

Ou seja, pode-se dizer que atualmente o tal parcelamento do Pix não se difere muito de um empréstimo, por exemplo. Então é importante que o cliente tenha consciência do que está fazendo para não se enfiar nas dívidas.



Cuidado com excesso de Pix

Especialistas afirmam que o Pix pode ser um risco para os consumidores mais descontrolados, já que o gasto pode sair de controle rapidamente. Não há como ter uma forma forçada de controlar os gastos com o recurso.

Se antes, o cartão poderia ser deixado em casa, o Pix não oferece esse tipo de situação. O parcelamento por Pix, como é hoje, acaba gerando prejuízos em longo prazo.

Afinal, pequenas quantias, somadas a juros podem evoluir para grandes dívidas de modo silencioso.

Dicas para usar o Pix com sabedoria

Para que seus gastos não se acumulem a ponto de comprometer sua renda ou gerar sérios transtornos, siga as dicas abaixo:

  1. Estabeleça limite para transferência via Pix – os bancos já oferecem ferramentas para ajustar o máximo de transferências que você pode fazer;
  2. Retire o dinheiro da conta e coloque em algum investimento ou fundo de renda fixa. O trabalho de passar os valores para a conta pode ser uma barreira na hora de simplesmente repassar o dinheiro via Pix.
  3. Evite parcelamentos por Pix ou por outras formas. Sempre mantenha os pagamentos a vista e em dia;
  4. Analise se realmente precisa gastar aquele dinheiro antes de concretizar o Pix.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário