scorecardresearch ghost pixel



PIS/Pasep: Caixa libera 3 saques ‘esquecidos’ a milhões de brasileiros

Recursos seguem parados aguardando o resgate pelos cidadãos de direito. Juntos, valores ultrapassam a casa dos bilhões de reais.



O calendário PIS/Pasep 2022, referente ao ano-base 2020, começou no dia 8 de fevereiro e contou com pagamentos disponíveis até o dia 31 de março. Apesar disso, muitos brasileiros ainda não foram sacar os recursos, que permanecem à disposição até 29 de dezembro deste ano.

Leia mais: É simples: como consultar o número do PIS para ver o saldo do FGTS?

Além desta modalidade, a Caixa Econômica Federal também realiza os repasses do abono salarial para quem trabalhou com carteira assinada em 2019. Neste caso, o cidadão precisa cumprir as condições do programa para receber. São elas:

  • Ter trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias em 2019;
  • Ter sido inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos em 2019;
  • Ter recebido em média até dois salários mínimos por mês também em 2019;
  • Não ter resgatado o abono ano-base 2019, pago entre julho de 2020 a junho de 2021.

A consulta ao PIS/Pasep pode ser feita no aplicativo Carteira de Trabalho Digital, disponível para celulares com Android ou iOS instalados.



Cotas do PIS/Pasep

Além do abono 2019 e 2020, mais de 10 milhões de brasileiros têm direito às chamadas cotas do PIS/Pasep, mas não sabem. Os recursos são destinados àqueles que trabalharam com carteira assinada entre os anos de 1971 e 1988.

De acordo com a Caixa, cerca de R$ 23 bilhões estão retesados e aguardando resgate pelos cidadãos elegíveis. Por se tratar de um benefício antigo, muitos beneficiários podem ter falecido. Neste caso o dinheiro fica à disposição de herdeiros ou dependentes.

As cotas do abono foram transferidas para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), após a extinção do fundo PIS/Pasep.

Dessa forma, para saber se possui algum valor esquecido, o cidadão pode baixar o aplicativo FGTS ou ligar para a ouvidoria do Ministério do Trabalho, no número 158. Também é possível consultar o benefício indo até uma agência física da Caixa.




Voltar ao topo

Deixe um comentário