scorecardresearch ghost pixel



Saque emergencial do FGTS vai ajudar muitas famílias, mas inflação é obstáculo

Veja como a inflação continua subindo e prejudicando muito várias famílias brasileiras.



A possibilidade de um dinheiro extra é sempre bem-vinda, mas o saque extraordinário do FGTS em 2022 terá um impacto muito menor nos trabalhadores. Apesar disso, os saques de R$ 1 mil permitidos nos últimos dias vão ajudar um pouco as famílias.

Veja também: Como acessar o Caixa Tem para receber o novo saque do FGTS de R$ 1 mil?

A inflação do Brasil está crescendo, e as pessoas estão realmente sentindo o aperto. Quem tem dinheiro pode começar a ver uma mudança real no valor de suas economias; por causa da inflação, o poder de compra diminuiu. O preço do gás aumentou nos últimos anos, assim como o do óleo de soja, que teve um aumento de cerca de 50%.

Você poderia comprar 257 litros de gasolina com R$ 1.045 em 2020. Ou o equivalente a 5,14 tanques para o carro mais vendido da época, o HB20. Este ano, é necessário cerca de R$ 1 milhão para comprar, em média, 137,6 litros de gasolina ou 2,75 tanques.



Em 2020, foi preciso somar R$ 44 para comprar um Galaxy A01, celular de entrada da Samsung. Hoje, quem tiver interesse em comprar o Galaxy A03, atual smartphone de entrada da marca, terá que usar todos os recursos do fundo e complementá-lo com R$ 299.

André Braz, economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV), fala sobre como a inflação aumentou nos últimos dois anos, incluindo alimentos, energia elétrica e combustível:

“São aumentos que não dá para driblar. Ninguém pode economizar na comida, a gente precisa comprar arroz e feijão. Para quem é mais dependente da gasolina, esse é um problema, mas o diesel, que é responsável pelo escoamento da produção agrícola, transporte nas rodovias e transporte interurbano, tem um impacto grande e indireto no custo de tudo que a gente compra.”

Outros fatores

O preço de tudo continua subindo e parece impossível parar. Você pode não conseguir tanto quanto antes e acabará ganhando menos a longo prazo.



“A inflação está maior agora, está pegando uma velocidade maior e mais persistente e está mais rapidamente destruindo o valor do dinheiro. Isso vai penalizar bastante aquelas pessoas que usarem esse dinheiro para complementar o orçamento do mês ou pagar uma dívida”, alerta o economista.

Não é apenas a inflação que vai diminuir os efeitos dos saques extraordinários para a economia. Todo o cenário econômico mudou. Muitas famílias endividadas estão decidindo usar essa oportunidade financeira para colocar suas contas em dia e reduzir o dinheiro gasto.

Em pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio, 76,6% dos entrevistados tiveram alguma forma de financiamento em fevereiro. Em abril de 2022, 27% deles tinham fatura em aberto, e 66,6% não possuíam financiamento.




Voltar ao topo

Deixe um comentário