scorecardresearch ghost pixel



3 erros ao dirigir que podem gerar graves prejuízos

Descubra alguns hábitos e atitudes erradas que muitas pessoas têm ao dirigir, mas acham que estão fazendo a coisa certa. Todos eles podem causar sérios prejuízos.



Confira 3 hábitos que muitas pessoas têm ao dirigir mas que podem gerar graves prejuízos. Contudo, quem mantém essas atitudes acredita que está economizando ou até prevenindo problemas no futuro.

Veja também: O carro gasta mais combustível se encher o tanque? Mito ou verdade?

1 – Deixar o pé apoiado no pedal de embreagem do carro

Se você tem costume de deixar o pedal descansando sobre o pé da embreagem, saiba que esse é um erro clássico. Isso faz com que a peça se desgaste rapidamente e pode provocar outros danos para o veículo.

Quem dirige bem sabe que existe uma parte ideal para descansar ao pé bem ao lado do pedal. Elimine o hábito de deixar o pé sobre a embreagem, pois isso vai economizar dinheiro e evitar dores de cabeça ao longo do tempo.



2 – Dirigir no ponto morto em descidas

Antigamente, muitas pessoas diziam que era melhor dirigir “na banguela”, ou seja, deixar em ponto morto na descida. O objetivo era economizar combustível, pois o carro cortava a injeção do líquido no motor ao ficar em ponto morto.

No entanto, há muito tempo os carros saem de fábrica com um “cortador de combustível elétrico” que é acionado sempre que o carro para de ser acelerado. Basta não acelerar para economizar gasolina ou etanol. Além disso, deixar o carro no ponto morto pode danificar várias peças.

3 – Cruzar lombada na diagonal

Você já deve ter visto alguns motoristas passarem nas lombadas jogando o veículo para o lado. A impressão é a de que eles estão se desviando de algum obstáculo. Na verdade, isso é feito para tentar reduzir o impacto no veículo.

No entanto, o efeito de dirigir assim é justamente o oposto. Sempre que você passa pela lombada na diagonal está forçando completamente a estrutura do veículo. Com o tempo, corre-se o risco de entortar alguma peça de aço importantíssima. Se isso acontecer, vale mais a pena comprar um carro novo do que arrumar o defeito.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário