scorecardresearch ghost pixel



Cidades voltam a recomendar o uso de máscaras em ambientes fechados

Decisão foi tomada após o número de casos e de internações por Covid-19 dispararem em algumas regiões.



Algumas cidades brasileiras voltaram a recomendar o uso de máscaras em ambientes fechados após o número de casos de contaminação pela Covid-19 dispararem em algumas regiões.

Leia mais: Doenças menos conhecidas que podem se transformar em pandemias 

A Prefeitura de São Paulo, por exemplo, voltou a recomendar o uso do equipamento de proteção individual nesta quarta-feira, 1º. O pedido para o uso de máscaras em locais fechados também foi anunciado pela Prefeitura de Presidente Prudente, outro município paulista.



Volta do uso de máscaras

A decisão acompanha o alerta do governo estadual, que também pediu que os cidadãos retornem com o hábito de usar máscara em locais fechados. Apesar das sugestões, o uso ainda não é obrigatório, com exceção de alguns lugares.

“Cabe enfatizar que a utilização da máscara, cobrindo corretamente nariz e boca, em ambientes fechados é uma recomendação. Porém, o uso segue obrigatório em equipamentos de saúde e em transportes coletivos, como ônibus, trens e metrô”, diz o texto da Prefeitura de São Paulo.

Além da recomendação para a necessidade do equipamento, a administração da cidade também orienta que a população esteja em dia com seu ciclo vacinal, incluindo as doses de reforço. O alerta se dá em razão do aumento no número de positividades em testes rápidos antígenos (TRAs) para Covid-19.



Aumento no número de internações

No Estado de São Paulo, apenas no mês de maio, houve uma alta de 120% nas internações por Covid-19. Com o crescimento, veio o alerta para o número de pessoas que estão com a dose de reforço atrasada, cerca de 10 milhões.

A respeito da decisão de decretar a volta do uso obrigatório de máscaras, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que a responsabilidade será das prefeituras, que poderão transformar essa recomendação, por exemplo, em um decreto.




Voltar ao topo

Deixe um comentário