scorecardresearch ghost pixel



Governo cria “força-tarefa” para fiscalizar a redução dos combustíveis

Punição para aqueles que deixarem de repassar o valor equivalente à desoneração será de multa entre R$ 20 mil e R$ 5 milhões.



Uma Medida Provisória (MP) está sendo preparada pelo governo federal para garantir que os consumidores finais recebam de fato os valores das desonerações tributárias sobre os preços dos combustíveis.

Leia mais: Novo estado anuncia redução do ICMS da gasolina; saiba qual é

Nesse sentido, o novo texto vai determinar que pessoas jurídicas envolvidas na produção, importação, distribuição e revenda de combustíveis repassem os descontos aos brasileiros. A fiscalização a respeito do cumprimento da medida ficará sob comando da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A Lei Complementar 194, recém-sancionada, limitou em 17% o ICMS sobre a gasolina, odiesel e demais itens, como energia elétrica, transporte coletivo e telecomunicações. Dois estados brasileiros já aderiram ao corte nos tributos, sendo São Paulo e Goiás.



Fiscalização

Segundo o novo texto, será criada uma espécie de “força-tarefa” formada pelos seguintes comandos para fiscalizar o cumprimento da medida. Ela incluirá representantes:

  • Da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP);
  • Da Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça e Segurança Pública;
  • Da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia;
  • Do Conselho Administrativo de Defesa Econômica; órgãos integrantes do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor; e
  • De órgãos integrantes do Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência.

As nova regras da MP permitirão que os agentes de fiscalização solicitem o uso de força policial para garantir o cumprimento do repasse aos consumidores. A ANP poderá solicitar às autoridades a desoneração da carga tributária, além dos documentos fiscais emitidos pelo infrator ou que foram destinados a ele.



Pagamento de multa

A punição para aqueles que deixarem de repassar o valor equivalente à desoneração será de multa entre R$ 20 mil e R$ 5 milhões. Além disso, os infratores também poderão ser submetidos a outras sanções, a saber:

  • Suspensão temporária, total ou parcial do estabelecimento ou instalação;
  • Cassação de autorização para o exercício da atividade; e
  • Cancelamento de registro de estabelecimento ou instalação.




Voltar ao topo

Deixe um comentário