scorecardresearch ghost pixel



Projeto que favorece uso do etanol é aprovado no Senado

Proposta de Emenda à Constituição visa estimular a competitividade do etanol em relação a outros combustíveis.



A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa estimular o uso do etanol em relação aos combustíveis fósseis foi aprovada no Senado na última terça-feira, 14. O texto quer criar medidas para tornar o biocombustível mais competitivo frente a produtos como gasolina e diesel.

Leia mais: Não passou: Bolsonaro veta despacho gratuito de bagagens em voos

A medida integra um parte do pacote para redução dos preços dos combustíveis e consequente queda da inflação. Batizada de PEC do Etanol, ela garante uma tributação menor para os biocombustíveis por meio da aprovação de uma lei complementar.



O texto, que é considerado bem menos controverso que a limitação do ICMS, segue para análise na Câmara dos Deputados.

Na segunda-feira, os senadores aprovaram outro projeto que cria um teto para a alíquota doo ICMS sobre os combustíveis e outros produtos considerados essenciais. A redução terá validade até dezembro de 2022, mas deve gerar uma perda bilionária na arrecadação dos estados.

Votação

A PEC do Etanol foi aprovada em dois turnos, procedimento necessário nos casos de proposta de emenda constitucional. Na segunda votação, 71 senadores ficaram a favor e nenhum contra.

O autor da proposta, senador Fernando Bezerra Coelho, explica que até a publicação da lei complementar, o diferencial competitivo “será garantido pela manutenção, em termos percentuais, da diferença entre as alíquotas aplicáveis a cada combustível fóssil e aos biocombustíveis que lhe sejam substitutos, em patamar igual ou superior ao vigente em 15 de maio de 2022”.

“Alternativamente ao disposto no caput, quando o diferencial competitivo não for determinado pelas alíquotas, este será garantido pela manutenção do diferencial da carga tributária efetiva entre os combustíveis”, explicou.




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário