scorecardresearch ghost pixel



Pagamento retroativo: R$ 3 mil pagos pelo governo seguem disponíveis

Pais solteiros, atenção: o benefício que ajudou milhares de mães solteiras quando a pandemia estava no auge agora será pago em retroativo para vocês também. Fique por dentro!



Se você é um pai solteiro que teve direito ao auxílio emergencial durante a pandemia, há uma ótima notícia aqui para você: desde o mês de junho, o governo está trabalhando para pagar uma espécie de compensação para esse grupo de pessoas ao qual você faz parte.

Veja também: 5 parcelas de R$ 600 do auxílio emergencial são liberadas; Saiba como consultar

O que acontece é que lá no começo da pandemia, o governo decidiu ajudar as mães solteiras. Enquanto pagava um valor fixo do auxílio emergencial para as pessoas em geral, eles pagavam o dobro do valor para essas mulheres.

Isso quer dizer que elas acabaram recebendo R$ 1.200. Os pais solteiros só tiveram a mesma oportunidade um pouco depois, portanto esses homens acabaram não recebendo o mesmo valor das mulheres. Sendo assim, hoje o governo tenta compensar com dinheiro que deixou de ser pago na época.



O nome desse benefício atual foi chamado de auxílio emergencial retroativo. Dependendo do quanto esses pais deixaram de receber, ele pode chegar a até R$ 3 mil.

Claro que isso não significa que todos os pais vão receber esse valor. Esse é apenas o teto. A pessoa pode receber menos, tudo irá depender de um fator importante.

Para saber exatamente quanto vai receber, tudo o que o pai precisa fazer é lembrar quantas parcelas do auxílio ele recebeu. Se recebeu duas, por exemplo, ele irá receber vai agora apenas R$ 1.200. Por outro lado, se tiver receber cinco meses do auxílio, terá direito aos R$ 3 mil citados.

Apenas lembre-se que isso é válido com base no ano de 2020.

Como consultar

E se você estiver na dúvida se de fato tem direito a esse benefício, você pode fazer uma consulta nos canais de comunicação do governo de forma fácil e rápida.

É necessário ter uma conta criada no Gov.br, antes de mais nada, então será preciso acessar o site e conseguir um login e senha para o sistema.



Após criar esse login e a senha, você deve acessar o site do Ministério da Cidadania, pois é lá que poderá usar a conta criada no Gov.br para acessar o site da pasta. Ao chegar nessa parte, você deverá preencher os seus dados.

Os dados são básicos, mas devem servir para comprovar que você de fato é um homem solteiro e responsável por um ou mais filhos que tenham menos de 18 anos de idade, levando em consideração o contexto do ano de 2020.

Feito isso, você será informado sobre a sua situação junto ao benefício. O governo recomenda que todos corram atrás de se informar para não perder esse dinheiro.




Voltar ao topo

Deixe um comentário