scorecardresearch ghost pixel



Empréstimo Auxílio Brasil: pré-cadastro LIBERADO; veja onde fazer

Famílias podem comprometer até 40% do Auxílio Brasil com empréstimos. Apesar da facilidade, entenda os riscos das contratações.



Muitos beneficiários aguardam com expectativa o início do empréstimo consignado do Auxílio Brasil. A modalidade ainda não foi liberada pelo governo federal, entretanto, algumas famílias que recebem os recursos do programa começaram a ter acesso a ofertas de crédito de correspondentes bancários.

Leia mais: Famílias na fila de espera do Auxílio Brasil vão receber as parcelas de R$ 600?

Uma delas foi pelo Banco Pan, que fez a simulação para uma beneficiária usando os números de RG, CPF, conta bancária e código familiar do benefício. Nos cálculos, a responsável pela família poderá contratar até R$ 2.056 de empréstimo usando o Auxílio Brasil como garantia de pagamento das parcelas. Resta apenas a sanção da medida.

A previsão é que grandes bancos privados fiquem de fora das ofertas, cujo prazo máximo estimado para pagamento da dívida deve chegar a até 2 anos. A respeito do limite máximo de juros, o tema ainda está em discussão, afirmam fontes do governo. Mas o objetivo é gerar concorrência entre as instituições para deixar os juros mais baratos aos clientes.



Limite das contratações

Segundo a proposta do governo aprovada no Congresso, as famílias podem comprometer até 40% do Auxílio Brasil com empréstimos. O percentual equivale R$ 160 em cima dos atuais R$ 400. No entanto, quando o benefício subir para R$ 600, o limite passa a ser de R$ 240.

Mas atenção: assim que o Auxílio Brasil retornar à faixa dos R$ 400, em janeiro de 2023, o comprometimento do benefício será de 60%. Apenas esse fato fez com que entidades e especialistas em finanças fizessem um alerta a respeito da contratação do empréstimo consignado por beneficiários do programa social.

Perigos da contratação do crédito consignado

Existe uma preocupação de economistas que mostram que a oferta do empréstimo consignado pode levar famílias ao superendividamento, colocando-as novamente em posição de vulnerabilidade.



A preocupação é que as taxas de juros do empréstimo consignado Auxílio Brasil fiquem em patamar similar ao do crédito pessoal descontado em folha, hoje em dia em 87% ao ano. A previsão é que elas fiquem mais próximas das do cheque especial, em 133% ao ano, do que naquelas aplicadas ao consignado para beneficiários do INSS, atualmente perto de 25% ao ano.

Portanto, a recomendação é que as famílias se planejem e analisem com cuidado a situação financeira antes de tomar qualquer decisão que vá comprometer o valor do benefício por alguns ou até vários meses.




Voltar ao topo

Deixe um comentário