scorecardresearch ghost pixel



Melhor que o 14º SALÁRIO: aposentados do INSS têm vitória na Justiça

Pagamento de recursos atrasados do INSS serão feitos via precatórios ou RPVs. Aprenda a consultar para saber se tem direito aos valores.



Uma novidade aos aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) acaba de ser confirmada. A Justiça liberou a milhões de aposentados e pensionistas o direito de receber valores atrasados de ações de revisão e concessão de benefícios.

Leia mais: Auxílio-taxistas paga R$ 2 mil para 301 mil profissionais no dia 16

Os recursos a serem repassados aos segurados serão feitos de duas formas: ou por meio das Requisições de Pequeno Valor (RPV) ou dos precatórios. A diferença entre as modalidades de pagamento está relacionada com o valor que cada aposentado tem para receber de atrasado do INSS. Entenda a seguir!



O que são as Requisições de Pequeno Valor?

Em se tratando das Requisições de Pequeno Valor (RPVs), os processo são limitados a 60 salários mínimos, cujo valor atualmente é de R$ 72.720.

Aqueles que possuem quantias até esta faixa recebem os atrasados de forma mais rápida. Isso porque, depois de liberados, os pagamentos aos cidadãos de direito devem ser feitos em até 2 meses.

No mês de junho, cerca de 1,5 bilhão foram destinado aos repasses de atrasados do INSS a aposentados e pensionistas. O valor será distribuído entre 63.522 processos vencidos.

O que são os precatórios?

Do lado oposto, os precatórios são os processos vencidos pelos segurados do INSS com valor acima de 60 salários mínimos (R$ 72.720). Apesar da vantagem na quantia, o tempo de espera para os pagamentos é maior.



O que acontece é que o governo limitou as verbas dos repasses, que passaram a ser feitos de forma escalonada e por prioridade de pagamento. Recebem antes aposentados com mais de 60 anos, pessoas com doença grave ou com deficiência. Confira abaixo como consultar a situação do seu benefício pela internet!

Como consultar os atrasados do INSS

Para saber o resultado de um processo movido contra o INSS, basta o segurado ou advogado responsável pela ação entrar no site do Tribunal Regional Federal (TRF) competente. Confira os endereços a seguir:




Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário