Como sacar previdência privada e garantir a melhor rentabilidade

O retorno da previdência privada será proporcional ao investimento. Dessa forma, quanto maiores forem as contribuições, maior será o dinheiro recebido no futuro.

Ninguém sabe ao certo como será aposentadoria daqui alguns anos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), por isso investir em uma previdência privada é uma boa forma de garantir um seguro para o futuro e ter uma velhice mais tranquila.

O retorno da previdência privada será proporcional ao investimento. Dessa forma, quanto maiores forem as contribuições, maior será o dinheiro recebido no futuro. Assim como maior for o tempo em que o dinheiro ficar investido, maior será a rentabilidade dele.

O que é a Previdência Privada?

A previdência privada é uma modalidade de aposentadoria que não tem nenhum vínculo com o INSS. Ela funciona como um complemento à previdência pública.

Valor e periodicidade da contribuição

Ao contratar um plano de previdência privada, o cliente pode escolher o valor e a periodicidade da contribuição. Por exemplo, é possível contribuir com R$ 1.200 uma única vez ao ano ou parcelar esse valor em mensalidades de R$ 100, por exemplo.

Como sacar previdência privada e garantir a melhor rentabilidade

Um dos benefícios desse tipo de investimento é que não é necessário aguardar o fim do período de contribuição para resgatar o dinheiro da previdência. A pessoa pode fazer isso quando quiser. Porém, há cobrança de impostos.

Por isso, o resgate antes do tempo não é uma boa alternativa, pois acaba perdendo rendimento da previdência privada e ainda compromete a segurança financeira no futuro.

Mas imprevistos acontecem, caso queira sacar o dinheiro antes de terminar o contrato, o cliente apenas precisa ficar atento a alguns detalhes importantes.

Em caso de doenças graves, desemprego e outras situações, a pessoa pode ter que resgatar a reserva financeira aplicada na previdência privada.

Um tributo conhecido como taxa de saída e cobrado nestes casos de resgate antecipado. Algumas seguradoras optam por cobrar esse valor somente quando o resgate é feito nos primeiros anos.

Porém, outras exigem o pagamento referente a períodos de carências para  resgates e transferência (totais ou parciais). Ou seja, neste caso, o cliente perde rendimento da previdência privada e sofre dedução de impostos e taxas.

Orientações para o resgate do dinheiro antes do tempo

Como mencionado acima pode haver diferenças no valor resgatado de acordo com o prazo, as taxas e o plano contratado de previdência privada. Por esse motivo, saber de alguns passos podem te salvar de grandes perdas do montante. São eles:

1 – antes mesmo de começar os depósitos, selecione o melhor regime de tributação, estimando quanto tempo quer permanecer contribuindo e quando pretende resgatar o saldo da previdência privada. Para os dois períodos, faça cálculos para simular os valores descontados;

2 – De acordo com o caso, avalie a melhor maneira de resgate em momentos de dificuldades. Reflita bem antes de decidir por resgatar o dinheiro e evite tomar uma atitude precipitada. Lembre-se, é o dinheiro que vai garantir o seu futuro tranquilo que está em jogo;

3 –  Antes de resgatar o dinheiro na data diferente da estabelecida do contrato, pesquisa sobre todas as taxas que serão aplicadas. Elas podem variar de acordo de instituição para instituição, e estão presentes tanto na hora do carregamento (administração e corretagem) como no momento de resgate. Então, a dica é negociar valores mais acessíveis para o seu bolso e atrativos.

Veja também: Quanto rende a poupança?

Veja mais sobre

Voltar ao topo

Deixe um comentário